quinta-feira, 28 janeiro 2021
Fale Conosco | (24)3343-5229

Economia

Comércio de Volta Redonda aponta otimismo com vendas de Natal

16/12/2020 17:30:32

Dentro das expectativas do cenário econômico desenhado pela crise gerada com a pandemia da Covid-19, o comércio de Volta Redonda tem se mostrado otimista com o resultado das vendas de Natal nesses primeiros 15 dias de dezembro. Para a Câmara de Dirigentes Lojistas de Volta Redonda (CDL-VR), o faturamento deve fechar com alta de 5% em relação a igual período do ano passado, pelo menos 30% a mais em comparação a outros meses do ano, principalmente, porque as lojas ficaram fechadas quase três meses, entre março e julho, somando os dias de proibição por decretos municipais.

Este ano, o que se tem visto é uma mudança no comportamento dos consumidores também por conta da pandemia. Diferentemente de outros dezembros, quando a maioria deixava as compras para a última hora, este ano, segundo a CDL-VR, as pessoas estão buscando antecipar os presentes para evitar filas e aglomerações, o que vem sendo recomendado desde o início. De acordo com o presidente Gilson de Castro, esse dezembro tem sido bem atípico por conta da pandemia, como já era esperado, mas as vendas têm sido acima da expectativa, também devido aos auxílios do governo federal.

“Muitas pessoas que não tinham renda passaram a ter esse auxílio emergencial e separaram uma parte para comprar um presente, algo para casa, para os filhos. Além disso, mesmo que as confraternizações sejam menores, as pessoas compram algo, mandam entregar, sempre fazem questão de presentear. Temos visto também uma conscientização maior dos consumidores, que pesquisam o que desejam comprar antes de saírem de casa, olham os produtos pelas redes sociais das lojas, já saem sabendo o que vão levar. Os que preferem não sair buscam comprar onde há delivery, uma vez que muitas lojas adotaram esse sistema durante a pandemia”, acrescentou.

LISTAS – Segundo Mônica Laviola, proprietária do Magazine Royal, no Aterrado, também tem sido percebido pelos lojistas que muitos clientes já chegam com uma lista com a intenção de comprar o máximo possível dos presentes para evitar ficar transitando. “A gente também atende muitos filhos que chegam com a lista dos pais mais idosos, que preferem não sair de casa para realizar compras. Isso ajuda a ter menos pessoas nas ruas, mas não reduz o consumo, porque as pessoas querem manter a tradição de presentear, mas com segurança. A nossa loja tem mantido todas as medidas de prevenção, temos álcool 70%, não permitimos a entrada sem máscara, nossos funcionários não ficam sem também, respeitamos o limite de pessoas dentro da loja”, comentou.

Na loja Sonho dos Pés, no Centro, as medidas também são seguidas e o movimento tem sido dentro do esperado para um dezembro diferente e atípico. Segundo a gerente Thainara Manolo, para atender os clientes que preferem realizar a compra remotamente, a loja oferece o sistema de delivery com um diferencial: a pessoa compra e já manda entregar para quem quer presentear.

“O presente ainda vai com a mensagem que ela quiser enviar, porque colocamos junto para ficar bem pessoal. Nossas clientes estão gostando bastante, porque é um diferencial. Quando é para a própria cliente, levamos os produtos, ela pode experimentar e escolher, pagar com o nosso cartão próprio, ou o dela, ou seja, temos várias opções de pagamento”, acrescentou.

Luiza da Cruz Lima, dona de casa, de 35 anos, aproveitou para comprar os presentes da família e levou junto a lista da mãe, que tem 63 anos. “Dia de semana, as lojas estão bem mais tranquilas, podemos comprar com mais calma. Em todas que entrei, as medidas estavam sendo cumpridas. Como a minha mãe é idosa, temos evitado que ela saia de casa. Trouxe a lista, compro, higienizo tudo antes de colocar na árvore dela. Ela escolhe pelas fotos que envio antes. Dá mais trabalho, mas é mais seguro. E assim, é menos uma pessoa na rua. Se todo mundo fizesse dessa forma, aglomerava menos. O comércio precisa ficar aberto e a gente tem que fazer a nossa parte para isso”, comentou.

O comércio está funcionando em horário ampliado para atender os consumidores, com mais flexibilidade, tanto durante a semana quanto aos finais de semana, segundo o Sindicato do Comércio Varejista (Sicomércio-VR), evitando assim, que haja uma concentração maior de consumidores num mesmo período. Com o novo decreto municipal, o comércio pode ficar aberto até às 22 horas.

“Essas horas a mais tanto durante a semana quanto aos finais de semana durante a pandemia são ainda mais importantes, porque ajudam a distribuir a quantidade de pessoas nas ruas, evitando aglomeração. Quem trabalha de manhã pode ir à tarde ou à noite. Quem não trabalha no fim de semana, pode aproveitar a folga para comprar. Além disso, com a internet, o consumidor ainda pode comprar pelo whatsapp das lojas, redes sociais”, comentou Jerônimo dos Santos.

 

 

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

20:12 Polícia