sábado, 18 setembro 2021
Fale Conosco | (24)3343-5229

Cultura

Cantor de Volta Redonda que vive no Japão lança música

Romullo Caneda gravou clipe em Nagoya

30/06/2021 13:28:30

O cantor de Volta Redonda Romullo Caneda, de 34 anos, vai lançar nesta sexta-feira (2), no Japão, o clipe de sua segunda música de trabalho "Solteirice". Romullo, que é do bairro Jardim Cidade do Aço, há cerca de três anos vive no país oriental, na província de Aichi-Ken, em Obu-shi. O videoclipe será lançado em seu canal oficial (Cantor Romullo Caneda), às 20 horas (horário de Brasília).

Fã de Gusttavo Lima, apesar de ter um estilo que caminha para o sertanejo comercial, Romullo se diz bem eclético. "Vou onde as pessoas estão e gosto de falar a língua do povo. Amo o MPB e todos os estilos, mas minha linha comercial hoje é o sertanejo", definiu-se.

De acordo com o artista, a música "Solteirice" é uma canção animada, com muito vigor, e cita um término de relacionamento em que o personagem tem dúvidas se irá encontrar uma mulher tão bonita e sexy quanto a ex.

- A música é um “piseiro” (vertente do forró) misturada com batidas de funk. Uma parte da canção diz: “será que tem por aí uma morena com o bumbum empinadinho”. É um som bem original – afirmou.

O clipe de "Solteirice" será lançado exatamente três meses depois de sua primeira música "10 pras 10". Segundo Romullo, a nova canção é uma música que foi produzida com muito carinho. "Espero que possa alcançar muita gente que gosta do piseiro. É um som contagiante e espero que o povo curta".

Gravado em Nagoya, o clipe conta com a participação dos dançarinos Jeffrey Sant, Maary Honorato e Amanda Kamizawa, com a participação de Elcio Abe. "O videoclipe é bem dançante, terá coreografia, com as meninas muito lindas e bem produzidas. Além disso, vai ter a participação especial de cena com o também cantor César Valentim e a modelo Luciana Fukuda. Os dois curtem uma boa paquera. Espero que gostem do projeto, porque está lindo demais", destacou.

Estudando marketing, direitos autorais e fonogramas, Romullo também trabalha em uma fábrica de autopeças, onde atua na inspeção e controle de qualidade. Sobre o Japão, o artista classifica o país como um lugar “de uma educação linda". Além disso, ele diz que teve uma receptividade muito boa. "Jamais imaginei um dia morar aqui, mas passou um tempo, surgiu a oportunidade e as coisas no Brasil apertaram, até que eu e minha esposa decidimos migrar para cá com o nosso bebê", informou.

TRABALHO NA PANDEMIA DE COVID-19 - Como qualquer outro artista pelo mundo, Romullo também sofreu os efeitos da pandemia de coronavírus. Ele se apresentava em alguns bares, casas noturnas e restaurantes, mas, com a disseminação da doença, o governo japonês também teve que diminuir ao máximo as aglomerações. "Cantar é o que mais gosto de fazer, mas temos que ter consciência. Faço lives nas redes sociais e participo de eventos para poucas pessoas. Se tivermos a suspeita da doença, são 14 dias de quarentena sem trabalhar e sem receber, já que ganhamos por hora e, caso a gente não trabalhe, não recebe", disse.

Romullo toca quatro instrumentos: violão, guitarra, baixo e cajón. Segundo ele, a paixão pela música se desenvolveu quando ainda era criança, vendo o primo tocar. "Ficava admirado. Ele me ensinou algumas notas e me emprestava o violão sempre que ia para a igreja. A partir disso, aprendi e nunca mais parei com a música. Hoje agradeço demais ao meu primo, minha primeira influência", concluiu.

Para ouvir a música "Solteirice" clique neste link. Já para ouvir "10 pras 10" clique neste. (Foto: Divulgação)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

19:23 Esporte