terça-feira, 10 dezembro 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Esporte

Voltaço resiste à pressão e empata com Paysandu

22/07/2019 22:02:37

Douglas Borges faz defesa no primeiro tempo: ele foi o destaque do time

O técnico Toninho Andrade não escondeu que considerava o empate um bom resultado para o Volta Redonda contra o Paysandu, no Mangueirão, em Belém, na noite da segunda-feira. E, em campo, o time cumpriu o roteiro determinado pelo treinador, retornando da capital paraense com um ponto a mais na tabela – 20 agora – e na vice-liderança do grupo B do Campeonato Brasileiro da Série C. O Juventude também tem 20 pontos, mas o Voltaço leva vantagem no saldo de gols.

O time suportou a pressão do Papão do Curuzu, que teve o apoio quase 12 mil torcedores (10.076 pagantes). Levou um susto no início da partida, quando o Paysandu acertou a trave, mas soube resistir e arrancou o empate de 0 a 0.

O próximo jogo do Tricolor de Aço será no domingo, em casa, contra o Luverdense, penúltimo colocado do grupo. A partida está programada para as 16 horas.

Fechadinho desde o início

Tão logo a bola rolou, o Paysandu mostrou que queria os três pontos de qualquer maneira. Até quase os 10 minutos, o Volta Redonda praticamente não chegou ao ataque – conseguiu apenas um escanteio.

A equipe da casa dominava e só não abriu o placar porque a trave salvou o Tricolor de Aço: aos 7 minutos, Micael fez boa jogada e cruzou. Na pequena área, o atacante Diego Rosa dominou, se livrou de Douglas e chutou no poste, saindo a bola pela linha de fundo.

Apesar do susto, o Volta Redonda seguiu resistindo bem à pressão do Papão da Curuzu, que continuou tendo mais posse de bola, mas sem conseguir criar uma nova chance real de gol. O Voltaço, por sua vez, atuava com cautela, buscando um erro para tentar surpreender o adversário.

Só aos 24 minutos o Tricolor de Aço chegou com algum perigo. Foi quando Gelson arriscou o chute de fora da área. A bola quicou e quase enganou o goleiro Mota – que já defendeu o Voltaço. Ele fez a defesa em dois tempos.

Sem conseguir chegar no toque, o Paysandu também tentou arriscar nos chutes longos, como aos 29, quando Bruno Collaço chutou de fora da área e a bola passou perto do travessão.

Aos 37, Toninho Andrade teve que fazer uma mudança, pois Índio se contundiu e foi substituído por Douglas Lima.

Dois minutos depois, o goleiro Douglas Borges brilhou, fazendo grande defesa numa finalização de voleio de Wellington Reis, depois de um rebote da zaga.

Sufoco total

Veio o segundo tempo e, numa bola parada, o Voltaço deu um susto na torcida local. Cobrando falta sofrida por ele mesmo, logo aos 4 minutos, Douglas Lima cobrou bem e a bola passou tirando tinta da do gol defendido por Mota.

O Paysandu respondeu aos 12: Vinícius Leite arriscou da entrada da área e a bola passou assustando o goleiro Douglas Borges.

A impaciência começou a tomar conta das arquibancadas do Mangueirão. E passou a se refletir em campo, com o Paysandu tentando vencer o bloqueio defensivo do Voltaço de qualquer maneira. Com isso, os erros de passe foram se sucedendo, para desespero do técnico Hélio dos Anjos.

Pelo lado do Esquadrão de Aço, só aos 32 o time chegou com algum perigo ao ataque. Gelson avançou pelo meio e foi derrubado por Tony perto da entrada da área. Na cobrança, Douglas Lima bateu em cima de Mota, que defendeu novamente em dois tempos.

Foi também de falta, logo em seguida, que o Paysandu voltou a ameaçar, mas a cobrança de Tiago Luiz foi para fora, embora passando perto da trave direita de Douglas Borges.

Nos minutos finais, com quatro atacantes em campo, o Paysandu abandonou qualquer resquício de esquema tático e partiu para abafa. O Papão pediu um pênalti – que não houve – aos 38 minutos, num lance em que Vinícius Leite cruzou rasteiro, Gedeilson chegou antes de Jheimy na pequena área e chuta em cima de Daniel. A bola bateu na barriga do zagueiro do Voltaço, mas gerou protesto dos jogadores do Paysandu e da comissão técnica, a ponto de o árbitro advertir com cartão amarelo o treinador de goleiros do time paraense, Silvan Austrália.

Tentando esfriar os donos da casa, Toninho Andrade fez mais uma alteração no Voltaço. Tirou Núbio e colocou Luan em campo. Só que, aos 43, o Tricolor de Aço ficou com um a menos em campo. Gelson, que já havia sido advertido com o amarelo, recebeu o cartão vermelho por falta dura em Vinícius Leite.

O Voltaço seguiu resistindo à pressão e, ainda houve tempo, nos acréscimos, para um defesa espetacular de Douglas Borges: Collaço cruzou da esquerda, Vinícius Leite pega de primeira e o goleiro Douglas Borges usou os pés para salvar o time da derrota.

Logo em seguida, o árbitro encerrou a partida. Ficou conforme a encomenda. (Foto: Reprodução TV)

Paysandu 0 x 0 Volta Redonda

Local: Estádio Mangueirão – Belém (PA)

Juiz: Ivan da Silva Guimarães Junior (AM)

Auxs: Uesclei dos Santos (AM) e Alexsandro Lira (AM)

Cartões amarelos: Luiz Gustavo, Wandinho, Douglas Borges e Gelson (VRE) e Bruno Collaço, Micael e Jheimy (PAY)

Paysandu: Mota, Tony, Micael, Perema e Bruno Collaço; Léo Baiano (Tiago Luiz), Wellington Reis, Leandro Lima e Elielton; Diego Rosa (Jheimy) e Nicolas. Técnico Hélio dos Anjos

Volta Redonda: Douglas Borges, Gedeílson, Daniel, Allan e Luiz Gustavo (Acácio); Bruno Barra, Bileu, Gelson e Índio; Wandinho e Núbio. Técnico: Toninho Andrade

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

11:05 Esporte