sexta-feira, 14 dezembro 2018
Fale Conosco | (24)3343-5229

Saúde

Volta Redonda recebe o Hospital Santa Margarida

23/02/2018 17:10:56

A prefeitura de Volta Redonda recebeu, na tarde desta sexta-feira, as chaves e a carta de arrematação do Hospital Santa Margarida, no bairro Niterói. Adquirido em leilão, o hospital – um dos mais tradicionais da cidade – deverá ser reaberto até o final deste ano, mas também de forma gradual, a exemplo do que foi feito com o São Camilo, transformado em Hospital do Idoso.

A entrega da documentação liberando o hospital para a administração municipal foi feita pelo administrador judicial Antonio Cesar Boller Pinto, representando o juiz da 1ª Vara Cível de Volta Redonda, Luiz Claudio Alves. A entrega foi feita ao prefeito Samuca Silva e ao secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, no pátio do hospital. Com a carta em mãos, a prefeitura já poderá entrar no prédio para iniciar sua recuperação, o que será feito a partir da próxima segunda-feira.

Volta Redonda recebe o Hospital Santa Margarida

O Hospital Santa Margarida tem 200 leitos, a mesma capacidade do Hospital São João Batista (150) e Hospital do Retiro (50), o que significa que, em pleno funcionamento, estará sendo dobrado o número de leitos na rede pública municipal.

Samuca confirmou que, a exemplo do que foi feito com Hospital do Idoso, o Santa Margarida (o nome não será alterado) vai começar a funcionar de forma gradual. O atendimento não será de portas abertas. A regulagem será feita pelo São João Batista.

- Este hospital representa um investimento que há muito não se via em Volta Redonda na área de saúde – resumiu o prefeito.

Volta Redonda recebe o Hospital Santa Margarida

Samuca está empolgado e tem razão. O município desembolsou à vista, em leilão, R$ 6,5 milhões (o preço final será de R$ 11 milhões), mas apenas em equipamentos, segundo avaliação da Justiça, o Santa Margarida tem R$ 22,5 milhões. Só de máquinas de hemodiálise o hospital conta com 14. Todos os equipamentos, segundo a Secretaria de Saúde, estão em condições de funcionamento.  Alguns, inclusive, já foram levados para outras unidades de saúde, como dois respiradores e um desfibrilador, que estão no Cais Conforto, Cais Aterrado e Hospital do Retiro.

O hospital tem nove andares e o plano de operação discutido no governo é que até o fim do ano dois já estejam sendo usados para atendimento.

- Na estrutura física do prédio não se tem quase nada a fazer – disse Alfredo Peixoto. Segundo ele, as primeiras providências a serem tomadas serão a limpeza e a reinstalação da energia elétrica, já que, com o prédio fechado desde 6 de fevereiro de 2015, quando a falência foi decretada pela Justiça, foram furtados fios e tubos de cobre.

Volta Redonda recebe o Hospital Santa Margarida

A intenção do governo é que o prédio abrigue também parte da estrutura da Secretaria de Saúde. Estuda-se a possibilidade de a sede da pasta, que hoje funciona em imóvel alugado no Aterrado, seja transferida para lá, assim como CDI (Centro de Doenças Infecciosas), que também atende em imóvel alugado no Aterrado.

- Haverá um momento em que teremos de fazer contratações, mas, por enquanto, vamos redirecionar pessoal, como também fizemos no Hospital do idoso – antecipou o secretário de Saúde, explicando que já foi solicitado ao Ministério da Saúde aumento do teto de repasse do SUS ao município. “Foi uma atitude inteligente e corajosa do prefeito, comprando uma unidade hospitalar para a cidade. Volta Redonda está na contramão do estado, reabrindo dois hospitais que estavam parados”, ressaltou Alfredo.

Ele também destacou o fato de que o hospital conta com um centro de imagem e com uma unidade coronariana, que não existe na rede pública da região.

O administrador judicial disse, na entrega das chaves, que o valor pago pela prefeitura de Volta Redonda vai permitir a quitação das dívidas trabalhistas do Santa Margarida.

Custo da Saúde não muda, afirma Samuca

O prefeito Samuca Silva salientou que a reabertura do hospital não significará, de início, nenhum custo para o município, além do administrativo. “Haverá um redirecionamento, portanto, o custo já está na rede. É importante dizer que não há aumento no custeio da saúde neste primeiro momento, porque [o hospital desenvolverá] ações que já fazemos neste momento, o gasto já existe”, frisou.

- Obviamente, o que já estamos discutindo é a outra ponta.  O aumento do número de leitos aumenta lá na ponta do hospital de portas abertas (São João Batista) – afirmou.

Hospital Regional abre em março

Durante a conversa que teve com a imprensa no local, Samuca revelou que, em conversa na quinta-feira com o governador Luiz Fernando Pezão, foi informado que o Hospital Regional, às margens da Via Dutra, terá seu funcionamento iniciado no próximo mês. O secretário da Casa Civil Christino Áureo, também participou do encontro. Samuca destacou que defende a abertura do hospital, mas com um plano operativo. Ohospital vai atender aos 11 municípios da região que integram o Cismepa (Consórcio Integrado de Saúde da Vale do Paraíba).

- O que levei a eles é a necessidade de deixar bem claro para a população o que vai ser aberto. Defendo que seja, porque no momento em que começa, as coisas acontecem, mas dentro de um plano operativo, de um plano de planejamento para a região. Foi feita uma licitação e houve um ganhador, que ainda não sei qual foi. Volta Redonda não tem ingerência – afirmou o prefeito. (Nota da redação: o FOCO REGIONAL pediu informações ao governo do estado, mas não recebeu resposta até a publicação desta nota)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

14:25 Polícia