segunda-feira, 23 novembro 2020
Fale Conosco | (24)3343-5229

Cidades

Volta Redonda inicia projeto de artesanato em hotelaria

26/10/2020 14:16:24

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Volta Redonda está realizando o projeto “Arigó: Artesanato na Hotelaria”. Segundo a prefeitura, trata-se de um programa pioneiro na comercialização do artesanato como parte da articulação entre as empresas que movimentam o turismo. O lançamento aconteceu na semana passada em um hotel na Vila Santa Cecília, com participação online de artesãos.

As peças já estão disponíveis para a venda e ficarão expostas em diferentes pontos do hotel: no salão de café da manhã, integradas à decoração e próximo ao balcão de reservas. Os hóspedes e quem mais desejar poderão encontrar artigos úteis para viajantes, como necessaires e porta-escovas, máscaras, objetos de decoração, presentes, souvenires entre outros.

“Sou artesã e entendo que esse momento é uma oportunidade única de geração de trabalho e renda, pois não estamos tendo oportunidade de participar de feiras e outros eventos. É uma iniciativa muito importante da prefeitura e uma oportunidade ímpar, inclusive para melhorarmos nosso portfólio, para quando participarmos de eventos em outros locais”, avaliou a artesã Cristina Cruz, integrante do Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

O projeto é parte das iniciativas que a secretaria vem desenvolvendo para fomentar a produção de peças de artesanato que promovam a valorização da identidade no município. “Desse movimento surgiu uma série de peças com a temática Arigó, que homenageia o trabalhador que migrou para consolidar o núcleo siderúrgico da cidade. Além desses, vieram outros trabalhos com aspectos marcantes da cidade. Temos desde imagens do patrimônio histórico, até mascaras decorativas com pinturas dos índios puris, que foram os primeiros habitantes dessa região”, explicou a diretora de Turismo da secretaria, Débora Cândido.

A partir da produção que gerou trabalhos com técnicas e resultados variados, foram realizados contatos com meios de hospedagens para consolidar pontos de venda do artesanato local, surgindo o projeto piloto. Também foi feita uma reunião online, onde 17 artesãs que tiveram trabalhos selecionados fizeram uma capacitação para que os funcionários do hotel conhecessem as histórias de cada uma delas, assim como de suas peças, aumentando a qualidade da comunicação na venda.

“Começamos a fase de curadoria das peças em março deste ano e estávamos nos preparando para ir também a uma feira, quando veio a pandemia e tivemos que suspender o projeto. Em agosto vimos um cenário mais seguro para retomar o projeto. É importante valorizar a identidade do município e poder contribuir com a retomada da economia para esse segmento”, afirmou Débora.

As artesãs e artesãos fazem parte do Programa Municipal de Artesanato (PAM), da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), que juntamente com as integrantes da cadeira de artesanato no Conselho Municipal de Turismo somaram forças com a Secretaria de Desenvolvimento.

“A cadeia produtiva do turismo é muito ampla e é papel da gestão pública promover a articulação entre os elos dessa cadeia. Todos saem ganhando: os artesãos, com mais uma possibilidade de escoamento da produção, o hotel, que ganha mais atratividade e complementa sua oferta, e a cidade, que tem sua identidade fortalecida”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rogério Loureiro. (Foto: Gabriel Borges)

Objetivo é articular empresas que movimentam o turismo

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Volta Redonda está realizando o projeto “Arigó: Artesanato na Hotelaria”. Segundo a prefeitura, trata-se de um programa pioneiro na comercialização do artesanato como parte da articulação entre as empresas que movimentam o turismo. O lançamento aconteceu na semana passada em um hotel na Vila Santa Cecília, com participação online de artesãos.

As peças já estão disponíveis para a venda e ficarão expostas em diferentes pontos do hotel: no salão de café da manhã, integradas à decoração e próximo ao balcão de reservas. Os hóspedes e quem mais desejar poderão encontrar artigos úteis para viajantes, como necessaires e porta-escovas, máscaras, objetos de decoração, presentes, souvenires entre outros.

“Sou artesã e entendo que esse momento é uma oportunidade única de geração de trabalho e renda, pois não estamos tendo oportunidade de participar de feiras e outros eventos. É uma iniciativa muito importante da prefeitura e uma oportunidade ímpar, inclusive para melhorarmos nosso portfólio, para quando participarmos de eventos em outros locais”, avaliou a artesã Cristina Cruz, integrante do Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

O projeto é parte das iniciativas que a secretaria vem desenvolvendo para fomentar a produção de peças de artesanato que promovam a valorização da identidade no município. “Desse movimento surgiu uma série de peças com a temática Arigó, que homenageia o trabalhador que migrou para consolidar o núcleo siderúrgico da cidade. Além desses, vieram outros trabalhos com aspectos marcantes da cidade. Temos desde imagens do patrimônio histórico, até mascaras decorativas com pinturas dos índios puris, que foram os primeiros habitantes dessa região”, explicou a diretora de Turismo da secretaria, Débora Cândido.

A partir da produção que gerou trabalhos com técnicas e resultados variados, foram realizados contatos com meios de hospedagens para consolidar pontos de venda do artesanato local, surgindo o projeto piloto. Também foi feita uma reunião online, onde 17 artesãs que tiveram trabalhos selecionados fizeram uma capacitação para que os funcionários do hotel conhecessem as histórias de cada uma delas, assim como de suas peças, aumentando a qualidade da comunicação na venda.

“Começamos a fase de curadoria das peças em março deste ano e estávamos nos preparando para ir também a uma feira, quando veio a pandemia e tivemos que suspender o projeto. Em agosto vimos um cenário mais seguro para retomar o projeto. É importante valorizar a identidade do município e poder contribuir com a retomada da economia para esse segmento”, afirmou Débora.

As artesãs e artesãos fazem parte do Programa Municipal de Artesanato (PAM), da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), que juntamente com as integrantes da cadeira de artesanato no Conselho Municipal de Turismo somaram forças com a Secretaria de Desenvolvimento.

“A cadeia produtiva do turismo é muito ampla e é papel da gestão pública promover a articulação entre os elos dessa cadeia. Todos saem ganhando: os artesãos, com mais uma possibilidade de escoamento da produção, o hotel, que ganha mais atratividade e complementa sua oferta, e a cidade, que tem sua identidade fortalecida”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rogério Loureiro. (Foto: Gabriel Borges)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

18:11 Cidades