terça-feira, 22 outubro 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Economia

Violência em Angra afeta setores imobiliário e turístico

26/05/2019 15:54:27

PM nas ruas de Angra: Presença não intimida os criminosos

A violência em Angra dos Reis, causada pela disputa  sangrenta de facções rivais pelo domínio do comércio de drogas, está se refletindo substancialmente nos setores imobiliário e turístico da cidade. Levantamento feito pelo Sindicato da Habitação (Secovi-Rio) aponta que o preço das casas de rua diminuiu 32% este ano em comparação com 2016. O preço do metro quadrado caiu de R$ 7.723 para R$ 5.251.

A informação foi dada pelo vice-presidente do Secovi, Leonardo Schneider, ao jornal carioca Extra!, que publicou neste domingo uma reportagem sobre a violência na cidade litorânea. “A situação vem impactando diretamente o mercado em relação à venda e também locação. A procura caiu muito. A crise, por si só, já impactou [o mercado] e a violência veio como um xeque-mate. Essa questão da guerra dos traficantes está afetando demais. As pessoas não se sentem seguras nem de passar pela BR-101 — afirmou Schneider à publicação.

Já o presidente da TurisAngra (Fundação de Turismo de Angra dos Reis), João Willy Seixas Peixoto, afirmou que, quando há algum episódio de “explosão da violência”, como as guerras entre quadrilhas, a taxa de cancelamento das reservas de turistas varia de 20% a 25%.

Segundo a reportagem, que ouviu de moradores o desejo de deixar a cidade, 601 pessoas foram presos no ano passado em Angra dos Reis por tráfico e associação para o tráfico de drogas. O número é 14 vezes maior do que o de 2008, quando foram 43 prisões por este tipo de crime. A comparação foi feita a partir do levantamento nos boletins de ocorrência da delegacia local.

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

20:51 Economia