quarta-feira, 18 setembro 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Política

Servidores fazem manifestação no Hospital do Retiro

13/12/2018 08:55:22

A manhã desta quinta-feira está sendo tumultuada no Hospital do Retiro, em Volta Redonda. Funcionários do SAH (Serviço Autônomo Hospitalar) iniciaram uma mobilização, com manifestação em frente ao hospital, alegando que não sabem qual será o seu destino com a administração da unidade sendo assumida, a partir da próxima quarta-feira, por uma organização social (OS).

Ao mesmo tempo, ao tomar conhecimento da manifestação, o prefeito Samuca Silva afirmou que todos os servidores da saúde que têm vínculo empregatício com o município serão realocados em outras unidades. “O vínculo vai permanecer”, disse o prefeito.

Segundo ele, a transferência da gestão do hospital vai beneficiar tanto os servidores quanto a população. “A solução dos problemas será muito mais rápida. Hoje há funcionários remunerados por RPA (Recibo de Pagamento a Autônomo) que não têm direito a 13º salário e férias”, disse. Ele afirmou que também está prosseguindo o processo para que o mesmo sistema seja adotado no Hospital São João Batista.

PAGAMENTOS – Samuca disse também que a prefeitura trabalha para pagar até a próxima quinta-feira, dia 20 (prazo limite), o 13º salário dos servidores municipais. Segundo ele, a prefeitura aguarda repasses de recursos federais e estaduais, que podem chegar a R$ 10 milhões, até a próxima segunda-feira. O valor seria refente ao repasse, pelo estado, de R$ 4 milhões dos R$ 13 milhões referentes à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Santo Agostinho, que estão atrasados. Outros R$ 6 milhões são esperados de repasses federais. O valor aguardado pela prefeitura já garantiria 50% do pagamento do 13º, cujo total chefga a R$ 20 milhões.

O prefeito disse ainda que nesta sexta-feira a prefeitura de Volta Redonda devolverá os 10% descontados dos salários de novembro dos servidores que recebem RPA. Ele disse que o desconto, que chegou a ser anunciado também para dezembro em janeiro, o que causou reação dos médicos da rede pública, poderá não mais ser adotado. Segundo ele, isso também será possível com a entrada de repasses estaduais e federais. Apesar das afirmações de Samuca, os médicos - que desde o anúncio do desconto estão restringindo o atendimento aos casos de emergência - dizem que só normalizarão o atendimento quando o valor for depositado em suas contas.

 

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

19:35 Polícia