segunda-feira, 22 julho 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Estado

Rio: Militar se rende depois de 14h com família refém

Ninguém se feriu

15/05/2019 11:38:54

O tenente-coronel do Exército que mantinha a mulher, Luciana Arminda, e os dois filhos gêmeos de 11 anos reféns no apartamento da família, em Cascadura, no Rio, se entregou após quase 14 horas de tensão. O porta-voz da Polícia Militar, coronel Mauro Fliess, informou que ele foi levado para a 29ª DP (Madureira).

O processo de negociação foi tenso, segundo Fliess. Equipes de médicos, psicólogos e policiais treinados em negociações de conflitos participaram da negociação, assim como equipes do Exército, à paisana. A rua foi tomada por policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e atiradores de elite. O tenente-coronel André Luiz seria integrante do Serviço de Inteligência do Exército.

O Bope assumiu a ocorrência na noite da terça-feira. Fliess explicou que todos os protocolos foram seguidos e os reféns ficaram “sob controle, na medida do possível”. Fliess explicou que as negociações envolveram tempo. O casal mora no Residencial Califórnia Park, na Rua Cerqueira Daltro.

Segundo Fliess, o militar mostrou descontrole diante de um problema familiar:

- É tenente-coronel da ativa do Exército Brasileiro. Ele demonstrou um descontrole diante de um problema familiar. É uma questão pessoal dele, que será abordada pelo Exército.

O fornecimento de energia elétrica para o apartamento da família foi interrompido por medida de segurança. A Rua Cerqueira Daltro foi interditada ao trânsito de veículos. Uma faixa foi colocada em frente ao Largo do Cascadura, que fica diante do condomínio. A calçada em frente ao prédio foi bloqueada.

Pouco antes das 7h desta quarta, um casal entrou no prédio após conversar com policiais. Durante a madrugada desta quarta-feira, uma psicóloga e uma major da PM também participaram da negociação.

Um vizinho que preferiu não se identificar disse que, horas antes da movimentação dos policiais no local, a mulher gritava por ajuda enquanto era agredida.

- Ele sacou uma arma e ameaçou a mulher e os filhos. Ele já tem histórico aqui no prédio de brigar com a esposa. Vizinhos já o viram agredindo a mulher — disse.

Outra testemunha contou que, ao ouvir os gritos, por volta das 20h, moradores procuraram a portaria do prédio, que acionou a polícia.

Segundo ela, o motivo da briga entre o casal seria uma suposta traição da esposa.

- Ela começou a gritar. Depois disso, uma vizinha ligou para a portaria, que acionou a polícia. O motivo da briga seria uma possível traição dela — contou o homem, que também não quis se identificar. A reportagem é do jornal Extra.

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

18:28 Cidades