quinta-feira, 21 março 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Economia

Resende vai à Justiça contra reajuste de água

25/02/2019 15:23:15

A prefeitura de Resende anunciou nesta segunda-feira que prepara um recurso judicial para evitar que a Águas das Agulhas Negras possa reajustar sua tarifa em 11,51%. O valor atual de R$ 2,1534 por metro cúbico. Em janeiro, o governo editou decreto vetando o percentual proposto pela concessionária e determinando que fosse usado como base para o cálculo de reajuste o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Ampliado), o qual, segundo a prefeitura, é admitido pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

O IPCA, reforça ao governo, é o índice utilizado para esse tipo de reajuste. Com isso, haveria apenas uma reposição sobre a inflação de 4,05%. No entanto, a empresa impetrou um mandado de segurança para fazer valer o aumento proposto.

A decisão é em caráter liminar (provisória) e foi proferida sem ouvir o governo municipal, destacou a prefeitura. Com isso, o prefeito Diogo Balieiro determinou que a Procuradoria Geral do Município preparasse o recurso para fazer valer o percentual menor.

Da mesma maneira, o prefeito está sendo obrigado a editar um novo decreto acatando a decisão da Justiça, inclusive incluindo efeito retroativo ao reajuste de 11,51% para o início de janeiro.

Entenda o caso

A Água das Agulhas Negras assumiu os serviços de fornecimento de água e tratamento de esgoto na cidade em 2007. Pelo contrato assinado na época, a concessionária tem direito a um reajuste obrigatório e anual. No entanto, na atual gestão tem sido comum a contestação dos valores iniciais exigidos pela concessionária.

Ao final de 2018, a empresa enviou à prefeitura a proposta de reajustar a tarifa de água cobrada da população em 11,51%. O cálculo foi feito pela própria concessionária e a prefeitura apontou que o percentual não seria o adequado ao momento. “Malgrado o pleito tenha sido acompanhado de documentação confeccionada pela própria concessionária para demonstrar a necessidade de atualização tarifária anual (com base em fórmula paramétrica), acrescido de um realinhamento de tarifa, não existem elementos seguros, salvo melhor juízo, para concluir que o percentual indicado pela postulante é adequado”, disse a Procuradoria na época.

Da mesma maneira, a Procuradoria recomendou que a reposição fosse calculada com base no IPCA, apurado até dezembro do ano passado. “Nessa linha de intelecção, e considerando o que vem sendo decidido pelo Tribunal de Contas da União em iterativa jurisprudência, o IPCA é o índice adequado para refletir os efeitos da inflação sobre o poder aquisitivo da moeda, de modo a ser utilizado para o reequilíbrio contratual no âmbito público”, recomendou a Procuradoria, estabelecendo o índice de 4,05%.

O parecer da Procuradoria foi acatado pelo prefeito, que editou decreto fixando apenas a reposição da inflação. No entanto, a concessionária levou o caso da esfera administrativa para a judicial e conseguiu uma decisão provisória em mandado de segurança, fazendo valer, ainda que momentaneamente, o percentual mais alto.

Atual gestão garantiu menores reajustes

O aumento da tarifa de água é anual e obrigatório, por força do contrato assinado em 2007. No entanto, a atual gestão vem mantendo com a concessionária Água das Agulhas Negras os menores índices de reajuste dos últimos nove anos.

Veja os índices de reajuste

2011 - 9,17%

2012 - 15,31%

2013 - 13,98%

2014 - 8,55%

2015 - 7,58%

2016 - 22,86%

2017 - 4,14%

2018 - 3,83%

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

15:11 Polícia