segunda-feira, 17 dezembro 2018
Fale Conosco | (24)3343-5229

Economia

Primos de Steinbruch pedem na Justiça venda da CSN e Vicunha

21/03/2018 17:38:12

A CFL Participações, holding dos primos do empresário Benjamin Steinbruich, protocolou na tarde desta quarta-feira na Justiça, um pedido de venda de todos os ativos sob o guarda-chuva do grupo Vicunha., para a divisão dos negócios ou a dissolução das holdings que controlam os negócios da família. A informação foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Os herdeiros da família Steinbruch estão em meio a um processo judicial que põe em risco o futuro das empresas sob seu domínio.  A disputa entre Benjamin e os primos Clarice e Léo veio a público no final de janeiro deste ano.

Segundo O Estado, o processo está sendo conduzido  pelo advogado Ricardo Tepedino. São quatro holdings que controlam os negócios da família, que inclui CSN, Vicunha, propriedades rurais e shoppings, além do banco Fibra. O pedido judicial, explicou o advogado, é para viabilizar a partilha dos bens.

Os dois ramos da família – representados pela Rio Purus, holding que reúne os irmãos Benjamin, Ricardo e Elizabeth Steinbruch – e a CFL, de Léo e Clarice, são os maiores acionistas da CSN e Vicunha. O motivo do desentendimento, no final do ano passado, teria sido porque a Rio Purus não reconheceu a validade de um acordo de acionistas firmado em 1994.

O conglomerado, que inclui a CSN e Vicunha, foi formado nos anos 1960 pelos irmãos Mendel (pai de Steinbruch, Ricardo e Elizabeth) e Eliezer, pai de Clarice e Léo. Os dois eram sócios de Jacks Rabinovich, que em 2005 se desfez de sua participação.

De acordo com O Estado, os desentendimentos entre os herdeiros ganharam força com a morte de Elizer em 2008 (o pai de Steinrbuch morreu em 1993). O acordo de acionistas da família foi firmado em 1994, após a morte de Mendel. Segundo a reportagem, mesmo com fatias societárias diferentes, os herdeiros teriam o mesmo peso nas decisões dos negócios, mas Benjamin costuma centralizar as principais decisões da companhia. Nos últimos anos, os primos de Benjamin tentaram iniciar um processo de desmembramento das empresas, estando o impasse centrado no valor de quanto valeria a participação.

Os representantes da Rio Purus foram procurados, mas não retornaram os pedidos de entrevista para a publicação. (Foto: Arquivo)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

11:37 Cidades