quarta-feira, 19 dezembro 2018
Fale Conosco | (24)3343-5229

Esporte

Presidente do Barra Mansa nega acusações

27/09/2018 10:21:59

O presidente do Barra Mansa Futebol Clube Anderson Martins Florentino, o “Andrinho”, negou, na manhã desta quinta-feira, que a instituição esteja envolvida num esquema de manipulação de resultados de jogos do time  para beneficiar uma máfia internacional de apostas. Em entrevista ao programa “Bom Dia, Cidade”, da Rádio Cidade do Aço FM, o dirigente confirmou que policiais cumpriram pela manhã um mandado de busca e apreensão em sua residência, onde foi apreendido um carro de luxo que, segundo suspeita do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, com base em investigações da Delegacia do Consumidor (Decon), teria sido comprado com dinheiro recebido do esquema fraudulento de apostas. Foi a segunda vez, em pouco mais de um mês, ano que a casa do presidente do clube é alvo de um mandado de busca e apreensão.

- O carro que foi apreendido está em nome de meu pai. Mostrei que o carro está financiado e vem sendo pago há mais de três anos. Vamos entrar com uma petição provando isso – afirmou o dirigente.

Andrinho também justificou a transferência para uma de suas contas particulares de parte do dinheiro (R$ 342 mil) recebido pelo clube pela venda de um jogador para o exterior. Segundo ele, a medida foi tomada devido ao bloqueio da conta bancária do clube: “A conta do Barra Mansa para receber o dinheiro foi aberta no Rio e, três dias depois, houve bloqueio [judicial] por conta de ações movidas contra o clube entre 2014 e 2016. Transferimos o dinheiro para a conta particular para poder disputar o campeonato e fazer reformas no estádio [Leão do Sul], além de despesas com jogadores e alimentação. Tudo isso está comprovado em notas. Peelo estatuto, tenho até abril do ano que vem para comprovar tudo o que foi gasto com o time ao longo deste ano. Nada disso está obscuro, está lá para quem quiser ver. Não tem nada de ilícito”.

Além da casa de Andrinho, o MPRJ e a Polícia Civil cumpriram mandados de busca e apreensão nos endereços do gerente de futebol, da tesoureira e do gerente de administração e logística do Barra Mansa.

A denúncia da suposta participação do Barra Mansa FC no esquema de manipulação de resultados foi feita no ano passado. De acordo com Andrinho, à época, embora já estivesse na presidência do clube, a gestão do futebol era terceirizada. “Havia uma empresa responsável pela contratação de atletas, logística, transporte, tudo”. (Foto: Arquivo-03/01/2017)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

20:10 Polícia