sexta-feira, 18 outubro 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Nacional

Políticos de esquerda reagem a fala de Temer de que houve ‘golpe’

Ex-presidente deu entrevista à TV Cultura

17/09/2019 12:32:46

Políticos repercutiram nesta terça-feira as declarações do ex-presidente Michel Temer que usou o termo “golpe” para se referir à deposição da ex-presidente Dilma Rousseff. Temer foi o entrevistado da noite de segunda-feira do programa Roda Viva, da TV Cultura. Por duas vezes, ele se referiu a golpe ao falar do processo de impeachment.

- Eu jamais apoiei ou fiz empenho pelo golpe – disse Temer aos entrevistadores.

Ele também comentou uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo, em parceria com o site The Intercept Brasil, mostrando que a Lava-Jato escondeu trechos de telefonemas gravados de Lula apontando que o ex-presidente relutou em aceitar ser ministro da Casa Civil de Dilma. A Lava-Jato divulgou trechos de uma conversa de Lula com Dilma, gravada ilegalmente pela Polícia Federal e divulgada pelo hoje ministro da Justiça Sérgio Moro, sugerindo que a nomeação do ex-presidente era um artifício para não ser julgado pelo ex-juiz federal de Curitiba.

Antes do Roda Viva, no último sábado a deputada Janaína Paschoal – uma das autoras do pedido de impedimento de Dilma – já havia admitido que as “pedaladas fiscais” usadas como base para justificar o afastamento não foram a razão da cassação do mando da presidente. “Alguém acha que Dilma caiu por um problema contábil?”, escreveu a advogada em sua conta no Twitter.

Líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta (RS) listou as consequências diretas do quadro político que se configurou no país após o impeachment da presidente. “Sem o golpe agora admitido por Temer e Janaína Paschoal, não haveria: fim da CLT, prisão de Lula, entrega do pré-sal, eleição de Bolsonaro, privatização da BR Distribuidora, destruição da previdência, gasolina a R$ 5, fim do PAC e do Minha Casa Minha Vida”, comentou.

Ministra durante o segundo governo de Dilma Rousseff, a senadora pelo PDT-TO, Kátia Abreu, também não deixou passar. “Não fica nem vermelho!”, alfinetou.

Candidato à Presidência nas eleições de 2018, Guilherme Boulos (PSOL) aproveitou para abordar a crise causada pela Vaza Jato, quem vem divulgado diálogos comprometedores de procuradores da República e também do ex-juiz Moro.

- O Roda Viva parece estar provocando lampejos de sinceridade nos entrevistados. Hoje, Temer, o golpista, admitiu o golpe. A Daniela Lima [apresentadora do programa de TV] poderia convidar o Moro e perguntar pra ele se o Lula é preso político”, ironizou.

A menção aos membros da força-tarefa da Lava Jato também foram citados pela deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). “Temer admite o Golpe no Roda Viva. E os golpistas tinham um QG em Curitiba, buscando desestabilizar o Brasil. Quem calou, consentiu. Deltan Dallagnol tentou golpear o STF também”, afirmou.

Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias na Câmara dos Deputados, deputado Helder Salomão (PT-ES), também recordou a afirmação feita pela deputada Janaína Paschoal. “Depois da Janaína Pascoal, foi a vez de Michel Temer admitir o GOLPE contra a presidenta Dilma Rousseff. O golpe que gerou o governo Bolsonaro, gerou crise, desemprego, o fim da CLT, o fim do Mais Médicos, o fim do MCMV, o fim da sua aposentadoria. Golpistas destruíram o Brasil”, disse. (Foto: Reprodução TV)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

22:13 Cidades