domingo, 19 novembro 2017
Fale Conosco | (24)3343-5229

Polícia

Polícia Civil faz operação contra tráfico e anabolizantes

14/11/2017 08:47:44

A Polícia Civil, com o apoio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), do Ministério Público estadual, desencadeou na manhã desta terça-feira uma operação voltada contra a venda de anabolizantes e o tráfico de drogas em cidades da região, principalmente Resende e Barra Mansa. Coordenada pela delegacia de Barra Mansa, a ação – denominada Halteres – visa o cumprimento de 16 mandados de prisão preventiva e 44 de busca e apreensão. Participam cerca de 50 agentes de todas as delegacias de polícia do Sul Fluminense.

O operação tem ainda o apoio da Corregedoria da Polícia Militar, já quue entre os que tiveram a prisão determinada pela Justiça, estão PMs de Resende. Seis dos sete policiais denunciados foram flagrados em escutas feitas ao longo das investigações contra o tráfico de drogas na região negociando o rateio de dinheiro obtido com a venda de armas que apreendiam de criminosos. Os seis foram denunciados por peculato. O MP também requereu a suspensão das funções públicas dos policiais, exceto de atividades internas do batalhão. 

Atualmente titular da Polícia Civil em Rio Claro, o responsável pelas investigações, delegado Alcidézio Bispo Júnior, informou inicialmente que as investigações tiveram como ponto de partida a venda de anabolizantes em cidades da região, cujo fornecedor – morador de Taubaté (SP) – é um dos que também tiveram a prisão decretada. “Ele já havia sido preso por conta de outra investigação, mas pela polícia de São Paulo. Agora está sendo preso de novo”, disse o delegado, que durante vários anos foi adjunto em Barra Mansa.

Ainda segundo ele, durante as investigações foi descoberta a ligação entre o núcleo que se dedicava à venda de anabolizantes e outro ligado ao tráfico de drogas. Até o momento da publicação desta nota, 13 pessoas já haviam sido presas – algumas em flagrante. Neste caso está um advogado de Resende, de 42 anos. Na casa dele, segundo as primeiras informações, foi apreendido cerca de um quilo de maconha dividido em dois tabletes. Ele teria tentado fugir e foi preso apenas de cueca no quintal da casa. O advogado seria alvo de condução coercitiva, mas por causa da droga foi preso em flagrante.

Os presos estão sendo levados para o Parque da Cidade, onde uma sala foi reservada para o coordenador da ação, Ronaldo Brito, titular de Barra Mansa. Os delegados e os promotores deverão divulgar um balanço da operação no final da tarde.

1/3

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

15:33 Polícia