domingo, 31 maio 2020
Fale Conosco | (24)3343-5229

Cidades

Justiça Federal suspende proibição de circulação no estado

09/04/2020 06:10:08

A juíza federal de plantão Mariana Carvalho Belloti determinou, na noite da quarta-feira, que o governo do estado do Rio de Janeiro se abstenha de promover a restrição à locomoção, circulação e transporte de pessoas e veículos. A decisão cita a região metropolitana e demais municípios do estado, além do "conjunto formado pelos municípios de Volta Redonda, Barra Mansa e Pinheiral".

A ação civil pública contestando os decretos do governador Wilson Witzel, especialmente o de número 47.019, foi movida pelo Ministério Público Federal (MPF), que apontou as medidas como inconstitucionais. A multa fixada pela juíza em caso de descumprimento é de R$ 100 mil por dia, a partir do momento em que o governo do estado for notificado.

Em sua decisão, Mariana Belloti ressalta que não se desconsidera a faculdade da administração pública para regulamentar a circulação, bem como estabelecer restrições razoáveis e proporcionais e temporárias ao enfrentamento da emergência de saúde pública vivenciada. No entanto, em se tratando de imposição de restrições a determinados direitos, “notadamente aqueles inscritos como fundamentais na Constituição Federal”, deve-se indagar não apenas sobre a admissibilidade constitucional da restrição eventualmente fixada, mas também sobre a compatibilidade das restrições estabelecidas com o princípio da proporcionalidade.

“Assim, mesmo em situações emergenciais, deve preponderar a ponderação e o equilíbrio entre as medidas restritivas adotadas e os objetivos perseguidos pelo Poder Público.  Sob esse prisma, a proibição de circulação intermunicipal de passageiros revela-se um meio demasiadamente gravoso para a população, eis que a coletividade que pretende ingressar/sair/transitar entre os municípios do Estado, em especial municípios limítrofes da região metropolitana do RJ, população notoriamente carente e dependente do transporte público intermunicipal diuturnamente, sofre severa restrição ao direito fundamental de ir e vir”, observou a magistrada.

Depois de mencionar decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (ST), Dias Toffoli, ao analisar suspensão de liminar no mesmo sentido relacionada ao estado de São Paulo, a juíza federal observou: “(...) a gravidade da situação por todos enfrentada exige a tomada de providências estatais, em todos as suas esferas de atuação, mas sempre através de ações coordenadas e devidamente planejadas pelos entes e órgãos competentes, e fundadas em informações e dados científicos comprovados”.

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

10:06 Nacional