terça-feira, 07 julho 2020
Fale Conosco | (24)3343-5229

Nacional

Governo antecipa vacinação contra gripe

Medida visa a combater o coronavírus

27/02/2020 20:34:59

O Ministério da Saúde decidiu antecipar de 23 de abril para 23 de março a campanha nacional de vacinação contra a gripe. A informação foi dada nesta quinta-feira pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em São Paulo. De acordo com ele, a antecipação se deve a novo coronavírus.

No entanto, a vacina contra a gripe não previne o coronavírus. Mas, segundo o ministro, será importante para combater os demais vírus associados a outros tipos de gripes e diminuir a dificuldade dos profissionais de saúde na hora de identificar corretamente o tipo de vírus que está provocando os sintomas no paciente.

“A vacina [da gripe] dá cobertura e deixa o sistema imunológico 80% protegido contra essas cepas de Influenza e virais que estão circulando e são mais comuns que o coronavírus”, disse o ministro. “Para um profissional de saúde, quando um indivíduo tem um quadro gripal e informa que já foi vacinado [contra gripe], isso auxilia muito o raciocínio do profissional para pensar na possibilidade de outras viroses que não aquelas que são cobertas pela vacina. Ela [a vacina] é um instrumento importante porque diminui a espiral de epidemia desses outros vírus que podem eventualmente ocorrer e confundir a população”, destacou o ministro.

Serão disponibilizadas 75 milhões de vacinas pelo Butantan, uma produção recorde, segundo as autoridades de saúde. Em 2019, o Instituto Butantan forneceu ao Ministério da Saúde 65 milhões de doses da vacina influenza trivalente (H1N1, H3N2 e B).

Segundo o ministro, a vacina dá cobertura de 80% contra cepas de influenza, "que são milhares de vezes mais comuns". Apesar de serem vírus diferentes – a gripe é causada pelo influenza, principalmente os subtipos A e B – os sintomas são parecidos e podem deixar a população confusa e sobrecarregar o sistema de saúde.

- O objetivo é diminuir a espiral de epidemia deste vírus (Influenza) que pode confundir a população e auxiliar muito o sistema de saúde – disse Mandetta, informando que o público-alvo da campanha deste ano será ampliado.

No ano passado, a recomendação era vacinar crianças de 6 meses a menores de 6 anos; mulheres que deram à luz há menos de 45 dias; idosos; profissionais de saúde; professores da rede pública ou privada; portadores de doenças crônicas; povos indígenas; pessoas privadas de liberdade; e portadores de doenças crônicas (HIV, por exemplo).

- Este ano vamos fazer outros grupos que não só os idosos. População presidiária completa, agentes presidiários, ampliação de segmentos para diminuir circulação epidêmica – explicou.

O Ministério da Saúde recomenda que a população espere o início da campanha de vacinação para se imunizar contra a gripe. Isto porque a vacina formulada para este ano é baseada em pesquisas que apontam os vírus de maior circulação no país neste momento. As vacinas distribuídas no ano passado, por exemplo, não darão a mesma proteção que a dose fabricada para este ano.

Balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira mostra que há um caso confirmado, 132 suspeitos e 60 descartados do novo coronavírus no Brasil. Os dados estão atualizados até o meio-dia desta quinta, e não incluem outras 213 notificações ainda em análise pela pasta. Esses 213 casos podem ser incluídos nos suspeitos ou descartados, e a projeção do secretário-executivo do Ministério da Saúde é que chegue, ao fim, perto de 300 casos suspeitos.(Foto: Agência Brasil)

Leia também:

Resende tem caso suspeito do novo coronavírus

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

19:49 Polícia