quarta-feira, 23 setembro 2020
Fale Conosco | (24)3343-5229

Cidades

Furtado vai propor frente em defesa dos profissionais de Educação Física

Intenção é valorização da categoria

16/09/2020 18:29:45

O deputado federal Delegado Antonio Furtado vai propor à Câmara a criação de uma Frente Parlamentar dedicada a assuntos relacionados à área de Educação Física. O anúncio foi feito por ele em reunião com profissionais setor. A frente, disse o parlamentar, terá o objetivo de criar projetos que ampliem a prática esportiva em todo o Brasil, valorizando o trabalho destes profissionais.

“Não quero apenas indicar projetos de lei de ampliação da prática esportiva. Quero que essa categoria seja valorizada pela importância do trabalho que desenvolve. Assim que a pandemia estiver contida vou encaminhar a solicitação para criar a Frente Parlamentar. Com o trabalho que desenvolve, a categoria ajuda nas áreas de saúde, educação e até na segurança pública, uma vez que evitam que nossos jovens se percam no mundo das drogas e do crime”, disse Furtado.

O descaso enfrentado na profissão e o estigma de que só trabalham com a questão da boa forma foi relatado como um problema a ser combatido. A baixa remuneração e as condições de trabalho também foram abordadas na conversa com o deputado.

“Sabemos que a nossa atividade, a nossa profissão é essencial para a população. Estamos presentes na saúde, educação, no esporte e no lazer. Trabalhamos não apenas o corpo, mas a mente. É uma ação para que jovens, idosos e crianças possam ter uma vida com mais qualidade. Todo esse esforço tem sido esquecido e a profissão tem ficado cada vez mais desvalorizada”, lamentou Heloisa Vilela, presidente da Comissão dos Profissionais de Educação Física de Volta Redonda.

Mesmo configurando entre as áreas que mais abrem vagas de emprego no Brasil, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a remuneração ainda é considerada pouco atrativa para quem quer continuar na profissão.

“É fundamental encarar os educadores físicos como profissionais que contribuem para manterem as pessoas saudáveis e ajudar na cura de enfermidades que se arrastam por anos e anos. Não adianta só ter vagas de emprego, é necessário permitir que haja o sustento digno desse profissional”, defendeu Furtado. (Foto: Divulgação)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

15:51 Cultura