domingo, 31 maio 2020
Fale Conosco | (24)3343-5229

Economia

Entidades de VR voltam a reivindicar reabertura do comércio

Ofício encaminhado ao prefeito cita risco de demissão em massa

31/03/2020 18:49:36

As entidades empresariais de Volta Redonda encaminharam nesta terça-feira ao prefeito Samuca Silva um novo ofício reivindicando a reabertura do comércio na cidade. No documento, solicitam que as lojas sejam reabertas na próxima sexta-feira, dia 3, dentro das condições que propuseram no último dia 27 – com contrapartidas do setor para evitar a propagação do novo coronavírus – sendo mantidos fechados apenas estabelecimentos que estimulem aglomerações, como cinemas, casas de show, teatros, casas de festas, boates e similares.

 

Assinado pelos dirigentes da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Sicomércio (Sindicato do Comércio Varejista) e Aciap (Associação Comercial, Industrial e Agropastoril), o ofício define a data como primordial para que seja possível pagar os salários de março. Segundo as entidades, pesquisa feita junto a seus associados aponta que 60% dos comerciantes não conseguirão arcar com os salários de seus funcionários, haja vista “a queda de mais de 80%, quando não de 100%”, do faturamento do comércio em geral. Apontam também que a maioria das empresas não conseguirá arcar com os compromissos tributários e fiscais nos próximos três meses.

As entidades reforçam que, apenas nos dez primeiros dias de vigor das medidas de restrição, houve 1,7 mil demissões na cidade e que há “risco de demissão em massa no comércio, o que acarretará inúmeros problemas nas áreas de segurança e assistência social”. No documento, CDL, Sicomércio e Aciap consideram que não houve aumento significativo de casos graves de Covid-19 na cidade” e citam que, segundo o próprio prefeito, para a mesma data em que solicitam a reabertura, está prevista a inauguração do hospital de campanha montado no Estádio Raulino de Oliveira pela prefeitura.

O pedido foi encaminhado ao Palácio 17 de Julho no mesmo dia em que a prefeitura divulgou não ter havido aumento no número de casos confirmados de coronavírus na cidade, onde uma morte causada pela infecção e outra aguarda resultado. Em seus pronunciamentos e entrevistas, o prefeito tem afirmado que a quarentena em Volta Redonda irá pelo menos até 6 de abril. Na segunda-feira, Samuca anunciou a prorrogação do prazo para o pagamento de impostos, como IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e ISS (Imposto Sobre Serviços).

Leia a íntegra do ofício e, abaixo, as propostas de contrapartida apresentadas para permitir a reabertura.

“A Câmara de Dirigentes Lojistas de Volta Redonda – CDL/VR; o Sindicato do Comércio Varejista de Bens e Serviços de Volta Redonda – SICOMERCIO/VR; a Associação Comercial, Industrial e Agropastoril de Volta Redonda – ACIAP/VR; e o Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Sul Fluminense – SIPACON, vem perante V. Exa. esclarecer e requerer o que se segue:

Considerando que o Decreto Municipal 16.082 de 2020 prevê a reabertura do comércio no próximo dia 06 de abril de 2020 e corroborado através dos comunicados emitidos por V. Exa.  nas redes sociais, SOLICITAMOS de forma emergencial a antecipação da reabertura do comércio para o dia 03 de abril de 2020, na forma requerida no ofício anterior, por conta dos seguintes motivos adiante expostos:

  • Não houve um aumento significativo de casos graves de COVID-19 na cidade;
  • O Hospital de Campanha será inaugurado até sexta-feira, dia 03 de abril de 2020, de acordo com informação prestada por V. Exa. ;
  • V. Exa. já proibiu/restringiu o acesso de pessoas de fora do município como forma de conter a proliferação do contágio.
  • Em pesquisa realizada aos associados das 04 (quatro) entidades signatárias do presente ofício, acima de 60% dos comerciantes vinculados não conseguirão arcar com os salários de seus funcionários, haja vista queda de mais de 80%, quando não de 100%, do faturamento do comércio em geral;
  • Com a referida queda de faturamento, além da dificuldade de honrar com os salários dos funcionários e colaboradores, a maioria das empresas consultadas não conseguirá arcar com os compromissos tributários e fiscais nos próximos 03 (três) meses;
  • Além do mais, há risco de demissão em massa no comércio do Município de Volta Redonda, o que acarretará inúmeros problemas nas áreas de segurança e assistência social.

Certos da vossa compreensão em zelar também pela saúde econômica e social do nosso município, assinamos o pedido acima em comum acordo:

Gilson Ferreira de Castro, presidente da CDL-VR

Luís Fernando Soares Cardoso, presidente da ACIAP-VR

Adriano Santos, diretor do SICOMÉRCIO-VR, representando o presidente Jerônimo dos Santos

AS PROPOSTAS DAS ENTIDADES

- Manter fechados estabelecimentos que estimulem a aglomeração como cinemas, casas de show, teatros, casas de festas, boates e congêneres;

- Aumento da segurança policial (Guarda Municipal e Polícia Militar) nas ruas;

- Suspensão da cobrança por serviços municipais e impostos municipais, bem como demais taxas municipais pelo prazo de 120 dias ou enquanto durar a pandemia;

- Horário especial para atendimento ao idoso;

- Shoppings abertos com limite de metragem (10 metros quadrados) por consumidor, o mesmo para lojas que funcionem externamente em shoppings, e grandes redes fora de shopping;

- Manter limitação já definida para restaurantes, com metragem por consumidor;

- Manter afastados idosos, gestantes e funcionários que fazem parte do grupo de risco, com trabalho em home office ou em compensação dessas folgas;

- Estimular a carona solidária;

- Funcionamento dos estabelecimentos comerciais limitando a um cliente no interior a cada dez metros quadrados;

- Proibir reuniões de pessoas de fora na cidade, priorizando as videoconferências;

- Ter álcool em gel nos estabelecimentos comerciais para funcionários e clientes, se disponível no mercado;

CONTRAPARTIDA DAS ENTIDADES:  

- As entidades também se propõem a fazer uma campanha publicitária na internet, rádio e tevês de conscientização nas mídias sobe a importância de se cumprir as medidas de segurança em saúde, com a higienização dos ambientes empresariais, principalmente, das superfícies de contato: portas, maçanetas, vitrines e balcão, seguindo o protocolo de desinfecção.

- Desinfecção das calçadas com equipamento da prefeitura e doação do cloro pelo comércio.

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

10:06 Nacional