sexta-feira, 18 outubro 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Saúde

Doença pulmonar será debatida em VR

Estima-se que número de mortes registradas pela fibrose pulmonar seja superior aos de vários tipos de câncer

22/08/2019 10:00:30

A necessidade de aperfeiçoar o diagnóstico precoce e preciso da fibrose pulmonar idiopática (FPI), doença grave e crônica, caracterizada pela cicatrização (fibrose), rigidez pulmonar e que apresenta alta taxa de mortalidade, será uma das principais tônicas da “III Jornada Respirar - Doenças Intersticiais Pulmonares Fibrosantes”. O evento acontece no próximo sábado, no auditório do Hospital São João Batista, em Volta Redonda.

Esta é a primeira vez que a região Sul Fluminense sedia um evento desta relevância neste segmento, segundo os organizadores. Com palestras ministradas por referências nacionais nas áreas de diagnóstico e tratamento da FPI, a “III Jornada Respirar – Doenças Intersticiais Pulmonares Fibrosantes” é destinada a médicos generalistas, pneumologistas e outros profissionais de saúde de todo o estado do Rio de Janeiro.

Segundo o professor Gilmar Alves Zonzin, idealizador do evento, o objetivo é difundir conhecimentos teóricos e práticas clínicas sobre uma patologia ainda pouco conhecida até mesmo para grande parte da comunidade médica. O pneumologista destaca que, embora não exista cura para a FPI, existe tratamento efetivo e capaz de controlar a sua evolução.

- Temos a expectativa de contribuir para que o diagnóstico da FPI seja mais ágil e preciso. Com o diagnóstico feito de forma precoce, é possível apontar o tratamento que pode oferecer mais qualidade de vida e também aumento significativo de sobrevida ao paciente – afirma Zonzin.

Estima-se que a expectativa de vida média dos pacientes acometidos pela doença é de aproximadamente cinco anos após o diagnóstico. A média é inferior à expectativa de vida dos pacientes acometidos por vários tipos de câncer.

A FPI atinge principalmente pessoas acima de 50 anos e, com certa predominância, do sexo masculino. Apesar de comprometer significativamente a função pulmonar, os sintomas da doença, em sua fase inicial, são comuns a outras várias patologias, com ofalta de ar, cansaço cada vez maior para realizar tarefas rotineiras e tosse seca persistente. Frequentemente, portanto, ela é confundida com asma-brônquica, enfisema (DPOC) e problemas cardíacos. Alguns pacientes também costumam acreditar que os sintomas iniciais podem ser parte do processo natural de envelhecimento.

- Embora seja classificada como rara, acreditamos que as estatísticas sobre pacientes acometidos pela FPI não retratam a real incidência da doença, já que muitos diagnósticos se mostram equivocados. Como pneumologista, no dia a dia de nosso trabalho temos constatado que é crescente o número de casos da FPI –alerta Zonzin.

De acordo com o pneumologista, é fundamental que pacientes e médicos estejam atentos à presença desses sintomas sem causa identificada e que persistem mesmo após algum tratamento. “Quando não é possível apontar uma origem clara para sintomas como tosse, cansaço e falta de ar ou quando esses sintomas não melhoram, mesmo após o tratamento para a causa inicialmente diagnosticada, o paciente deve procurar imediatamente um pneumologista. Nesses casos, é imprescindível que seja feita uma investigação mais aprofundada e especializada das queixas, inclusive com a realização de exames mais específicos como tomografia de tórax, avaliação da função pulmonar, entre outros”, afirma.

Veja quais são os especialistas reconhecidos nacionalmente em tratamento e diagnóstico de FPI que ministrarão as palestras em Volta Redonda:

Alberto Sperb Rubin - pneumologista, professor e chefe do Serviço de Pneumologia da Santa Casa de Porto Alegre (RS),

Bruno Hocchegger - radiologista, doutor em Ciências Pneumológicas e coordenador médico do Hospital São Lucas (PUC-RS),

José Roberto Megda Filho - responsável pelo ambulatório de pneumologia da Residência de Clínica Médica do Hospital Universitário de Taubaté,

Paulo Roberto Goldenfum - pneumologista do Pavilhão Pereira Filho (ISCMPA).

Flávio Fenando Nogueira de Mello - reumatologista, ex-professor da Faculdade de Medicina de Volta Redonda.

Serviço:

III Jornada Respirar – Doenças Intersticiais Pulmonares Fibrosantes

Data: 24 de agosto

Horário: 8h às 14h

Local: Auditório do Hospital São João Batista

Endereço: Rua Nossa Senhora das Graças, 235 - São Geraldo, Volta Redonda

Informações: ligapneumofoa@gmail.com e (24) 99968-6413 

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

22:13 Cidades