sábado, 17 novembro 2018
Fale Conosco | (24)3343-5229

Esporte

Craque de Quatis inspirou nome de Bolsonaro

30/10/2018 10:40:06

Eleito presidente da República no último domingo, Jair Bolsonaro contou que seu nome lhe foi dado pelo pai inspirado num craque do Palmeiras da década de 1950, Jair Rosa Pinto. O que poucos se lembram nos dias de hoje é que o jogador, que fez história no clube Alviverde paulista e que brilhou também no Santos de Pelé, nasceu na região Sul Fluminense, mais precisamente em Quatis (1921),  à época distrito de Barra Mansa.

O pai de Bolsonaro, Percy Geraldo, era um fervoroso torcedor do Palmeiras e dar ao terceiro filho o nome de Jair foi a forma que ele encontrou para homenagear o ídolo. Ainda mais pelo fato de que Jair, o agora presidente eleito, nasceu no mesmo dia em que o craque: 21 de março.

Jair Rosa Pinto disputou 271 jogos pelo Palmeiras, sendo campeão Paulista de 1950 e do Torneio Rio-São Paulo, em 1951.  Ele morreu em 2005, no Rio de janeiro, aos 84 anos.

Jair saiu de Quatis para jogar no Madureira, clube que o revelou para o futebol nacional. Antes, jogou profissionalmente pelo Barra Mansa até se transferir para o time do subúrbio carioca. Depois do Madureira, foi para o Vasco, sendo campeão estadual em 1945 e 1947. Também integrou a Seleção Brasileira, que em 1949 conquistou a Copa América, mas em 1950 perdeu o título da Copa do Mundo para o Uruguai, em pleno Maracanã.

No Santos, foi campeão paulista de 1956, 1958 e 1960. Ele ainda teve passagens pelo Flamengo, São Paulo e Ponte Preta. Após pendurar as chuteiras, aos 42 anos, chegou a atuar como treinador, mas não teve a mesma carreira vitoriosa.

Há quem diga que o quatiense odiava ser chamado de Jair “da” Rosa Pinto, como era comum. Entretanto, também foi tratado como o “Jajá de Barra Mansa”.

A pequena Quatis ainda revelou outros dois jogadores que se destacaram no cenário nacional: depois de Jajá, quem mais elevou o nome do então distrito e de Barra Mansa foi Antônio Evanil Silva, o lateral esquerdo Coronel, que atuou, entre outros, no Vasco e Seleção Brasileira, na década de 1960.

Com menos destaque, mas nem por isso menos reconhecido pelos quatienses, o meia Renato Carioca (cujo nome de batismo é Laércio da Silva Vieira) também brilhou em vários times no Brasil e exterior, entre eles o Flamengo, onde atuou ao lado de ídolos como Mozer, Zinho e Zico, na década de 1980. (Fotos: Divulgação)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

23:46 Polícia