quinta-feira, 24 maio 2018
Fale Conosco | (24)3343-5229

Internacional

Coreias prometem acordo de paz e fim de armas nucleares

Presidentes dizem que tratado será assinado até final deste ano

27/04/2018 10:12:18

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-un, anunciaram nesta sexta-feira um acordo para remover todas as armas nucleares da península coreana. Anunciaram ainda a assinatura de um acordo de paz até o fim deste ano.

Uma declaração foi divulgada, mas não detalha como será o processo para a retirada das armas.  Em 2017, os norte-coreanos disseram que só poderiam abrir mão de suas armas nucleares quando os EUA tirassem 28 mil soldados americanos da Coreia do Sul.    

Os países garantem que pretendem envolver os Estados Unidos e a China para converter o atual armistício no acordo de paz. Por terem participado da guerra, os EUA precisam participar e concordar com os termos do novo tratado.

Embora o conflito entre os dois lados tenha durado de 1950 a 1953, os dois países nunca assinaram um acordo de paz e estão tecnicamente em guerra. Outro anúncio feito diz respeito a um encontro, em agosto, entre famílias separadas desde a guerra.

As declarações dos dois líderes foram recebidas com apoio na comunidade internacional. "A guerra da Coreia vai acabar!", escreveu o presidente americano Donald Trump nas redes sociais.  "Depois de um ano furioso de lançamento de mísseis e testes nucleares, um encontro histórico entre o Norte e o Sul está ocorrendo. Coisas boas estão acontecendo, mas só o tempo dirá", acrescentou.

Os russos prometeram ajudar na cooperação entre os dois países, em especial em questões de infraestrutura, como energia e transporte ferroviário.

MOMENTO HISTÓRICO – De mãos dadas, Kim e Moon cruzaram nesta sexta-feira (noite de quinta, no Brasil) a linha demarcatória na zona desmilitarizada na península coreana para a primeira cúpula entre os países em 11 anos. Foi a primeira vez que o líder da ditadura norte-coreana entrou na Coreia do Sul desde o fim do conflito, em 1953.

"Fico feliz em conhecê-lo", disse o presidente sul-coreano ao ditador. Ambos sorriram.

O encontro continuou em tom amistoso, com Kim até mesmo reconhecendo a precariedade da infraestrutura de seu país. Depois que Moon afirmou que gostaria de visitar Pyongyang, o ditador norte-coreano respondeu dizendo que "isso seria bastante vergonhoso", em uma referência a falta de condição das rodovias norte-coreanas.

Kim também disse que a delegação de seu país que visitou a Coreia do Sul durante a Olimpíada de Inverno voltou impressionada, em especial com o trem-bala do vizinho.

Após o encontro na fronteira, os líderes foram acompanhados por uma banda militar até a Casa de Paz, onde foi assinado o armistício de 1953. No livro de visitas, Kim escreveu: "Uma nova história começa agora, o ponto de partida de uma era de paz". (Foto: Divulgação)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

21:25 Polícia