segunda-feira, 25 junho 2018
Fale Conosco | (24)3343-5229

Educação

Comunidade se mobiliza contra risco de escola fechar

06/03/2018 16:45:14

A possibilidade de mais uma escola da rede estadual fechar as portas em Volta Redonda vem provocando protestos da comunidade. Desta vez a unidade ameaçada é a Escola Estadual Minas Gerais, que funciona há 52 anos no Retiro, sendo considerada uma das mais antigas da cidade. Em reunião na manhã desta terça-feira, pais, alunos, professores, o deputado estadual Nelson Gonçalves e a vereadora Rosana Bergone discutiram sobre o assunto em busca de alternativas para impedir o fechamento.

A escola mantém hoje somente quatro turmas do 8º e 9º ano do ensino fundamental, com um total de 130 alunos. “Não estão sendo abertas novas matrículas e a cada ano, o estado diminui as turmas. A impressão que se tem é que no ano que vem só haverá uma ou duas turmas”, disse a diretora Maria Aparecida de Oliveira Rocha. “A nossa luta é para que a escola receba o ensino médio e turmas da Educação de Jovens e Adultos”, acrescentou, ressaltando que existe um ato de 2005 autorizando esta mudança, mas o processo está parado na Secretaria estadual de Educação.  “A escola tem boa estrutura e temos capacidade para formar até 15 turmas nos três turnos alunos”, explicou.

O deputado disse que vai levar o assunto ao secretário estadual de Educação, com um abaixo-assinado, elaborado pela comunidade, onde pelo menos 500 pessoas protestam contra o risco de fechamento da escola. “Vou marcar uma audiência com o secretário Wagner Victer e, junto com uma comissão da comunidade e da escola, além da vereadora Rosana, vamos discutir alternativas para manter o funcionamento. Já existe a proposta para que seja implantado aqui o ensino médio e veremos com ele se isso é possível”, ressaltou o deputado.

A vereadora destacou que o problema uniu a comunidade. “Fechar uma escola é inadmissível e não podemos deixar”, disse Rosana, lembrando que outra, a Escola Estadual Pau D´Alho, está fechada e abandonada. “Temos que lutar enquanto a Minas Gerais ainda está aberta. Que ela receba o ensino médio, cursos profissionalizantes e, em último caso, que seja municipalizada. O que nós não podemos assistir é o fechamento de um local destinado a educar e garantir um futuro melhor para muitos jovens”, acrescentou.

O aluno da turma 902, Marcos Vinicius do Nascimento, de 16 anos, disse que considera uma injustiça o fechamento da escola. “A escola tem um bom ensino e poderá ser muito melhor”, disse. Já Pedro Lucas dos Reis, 15 anos, lembrou que muitas pessoas de sua família também estudaram ali. “É o segundo ano que estou aqui e quero continuar”, disse.

Ainda no encontro, foi apresentado o abaixo-assinado contra o fechamento da escola. O presidente da associação de moradores, Wanderley Dias de Moura, afirmou que o documento fará parte de ação civil que será impetrada no Ministério Público Federal para assegurar a manutenção da escola.

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

13:43 Polícia