terça-feira, 25 junho 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Cultura

Sede do projeto Volta Redonda Cidade da Música é inaugurada

09/05/2015 15:37:55

A prefeitura de Volta Redonda  inaugurou ontem à noite a sede do projeto Volta Redonda Cidade da Música, da Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda), surgido há 41 anos, e que atende atualmente mais de 4 mil crianças da rede pública municipal de ensino, com aulas de musicalização, instrumentos e com os grupos Banda de Concerto, Banda de Metais, Orquestra de Violinos, Orquestra de Violoncelos e Contrabaixos, Orquestra de Cordas, Coro Infanto-juvenil e Coro Sinfônico. O prédio, que fica na Rua Graham Bell, na Vila Mury, também vai abrigar o projeto Ballet Educação, da Secretaria Municipal de Educação (SME).

A festa de inauguração teve a presença do prefeito Antônio Francisco Neto, do maestro Nicolau de Oliveira Martins, fundador do projeto na Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda), e que atualmente é o coordenador do Volta Redonda Cidade da Música, ao lado da maestrina Sarah Higino, também presente à cerimônia, do presidente da Fevre, José Luiz de Sá, da secretária municipal de Educação, Therezinha dos Santos Gonçalves Assumpção, do deputado estadual Nelson Gonçalves, do deputado federal Deley de Oliveira, do vereador Fernando Martins, entre outros convidados.

Também participou da cerimônia de inauguração, a convite do maestro Nicolau Martins, o contrabaixista Sandrino Santoro, músico clássico reconhecido internacionalmente como um dos melhores no seu instrumento, e que já deu aulas especiais (master classes) no projeto Volta Redonda Cidade da Música. Ele afirmou que o projeto de ensino de música clássica para alunos da rede pública, da forma como é executado em Volta Redonda, e os investimentos que o Poder Público municipal faz no Cidade da Música são “inéditos”.

“Nunca vi uma coisa assim, é algo inédito, maravilhoso. Já andei muito por aí ouvindo várias orquestras, e o que vi – graças à força do maestro Nicolau e os investimentos feitos pelo prefeito – são as crianças que conheci no projeto como profissionais em outras orquestras, fazendo sua vida como músicos. É extraordinário, estão todos de parabéns e desejo muito sucesso ao projeto”, disse Santoro.   

A festa de inauguração teve apresentações dos diversos grupos do projeto, além dos naipes – sopros, cordas, percussão – fazendo pequenas apresentações nas salas de estudo para cada instrumento, mostrando a versatilidade da nova sede, que representou um investimento de R$ 1,2 milhão.

O maestro Nicolau afirmou que a inauguração da sede do projeto Volta Redonda, Cidade da Música é “a realização de um sonho” e o ponto alto do projeto, que surgiu em 1974 na Fevre, durante o governo do então prefeito Nelson Gonçalves, pai do deputado Nelson e da secretária municipal de Educação. Segundo ele, a nova sede dará uma visibilidade maior ao projeto, além de oferecer uma nova estrutura para receber os estudantes, desenvolver as atividades musicais e guardar os instrumentos. O fundador do projeto emocionou Neto durante o discurso na cerimônia, ao fazer um agradecimento especial ao prefeito pelo apoio à iniciativa.

“Expresso minha gratidão ao senhor, prefeito, evocando três grandes amigos deste projeto: primeiro, a sua mãe, Dona Munira, e depois os saudosos Doutor Munir Rafful (criador do Hospital do Retiro) e Oscar Cardoso (jornalista, assessor especial de Neto por vários anos). Evocando estes nomes, espero que o senhor sinta a gratidão que tenho por tudo isso”, disse Nicolau. O prefeito afirmou que Volta Redonda é referência em diversas áreas – no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), Esporte, Educação – e que o projeto Cidade da Música é uma dessas referências.

“Ninguém é referência por acaso, é preciso muito trabalho e dedicação. E pela sua dedicação, maestro Nicolau, nós desejamos todo o sucesso do mundo neste novo espaço, onde os estudantes terão condições melhores para suas aulas e estudos”, disse Neto.

O complexo que abriga a nova sede do projeto Volta Redonda, Cidade da Música – que antes funcionava no Colégio Getulio Vargas, da Fevre – inclui diversas salas de música e ensaio, com tratamento e isolamento acústico em todas as salas.

A maior sala de ensaios, para a banda, orquestra, e sessões de música de câmera, pode receber um público de até 200 pessoas. As salas de ensaio vão atender grupos de diversos tamanhos, e incluem salas específicas para o estudo dos violoncelos, contrabaixos e percussão.

A maioria das salas é dotada de banheiros femininos e masculinos. Nas duas salas de balé, há espelhos e apoios para os exercícios das bailarinas. 

Na parte superior fica uma Biblioteca Musical, com arquivos especiais para guardar mais de 1,5 mil partituras. Em uma sala ao lado vai funcionar uma oficina para pequenos instrumentos, onde luthiers – especialistas no conserto de instrumentos musicais - poderão ministrar cursos para os alunos. Também há uma sala de Informática, com computadores capazes de rodar programas específicos para o estudo de música. Neste espaço, o maestro afirmou que será feita a formação de professores.   

Os alunos terão ainda à disposição um refeitório e uma cozinha. Um espaço importante está reservado também para os maestros, na parte superior do prédio.

Ano passado, o prefeito Antônio Francisco Neto sancionou a lei municipal 5.017, que regulamenta as atividades do Projeto Volta Redonda, Cidade da Música, de natureza educacional e cultural, abrangendo os grupos Banda de Concerto, Banda de Metais, Orquestra de Violinos, Orquestra de Violoncelos e Contrabaixos, Orquestra de Cordas, Coro Infanto-juvenil, Ballet e Coro Sinfônico.

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

14:55 Esporte