sexta-feira, 18 outubro 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Estado

Ronaldinho dá show em virada épica na Vila Belmiro

29/09/2011 16:44:41

Ronaldinho teve uma atuação mágica. Daquelas que encantaram o mundo nos tempos em que ele era o maior do planeta. E logo na casa de Pelé, o maior de todos: a Vila Belmiro, num jogo em que Flamengo e Santos relembraram, ontem, os grandes momentos do futebol brasileiro. Com três gols do camisa 10 da Gávea, o Rubro-Negro tomou 3 a 0, buscou o empate, sofreu o quarto gol, mas venceu no fim por 5 a 4. Uma virada histórica. Com o resultado, o time de Vanderlei Luxemburgo foi a 24 pontos. Domingo, o adversário será o Grêmio, no Engenhão.

De um lado, Ronaldinho, com a sua categoria, liderou o Rubro-Negro. Do outro, Neymar, sem moicano, usava a sua habilidade para levar o Santos ao ataque. E o jogo foi espetacular do início ao fim. Aos 4 minutos, Elano deu passe preciso para Borges abrir o placar.

O Flamengo jogava bem. Ronaldinho quase marcou duas vezes. Aos 15, o Rubro-Negro aprendeu que não se vacila com o Santos. Renato errou e deu no pé de Neymar. Ele tabelou com Ganso e, após rebote de Felipe, Borges recebeu livre: 2 a 0.

Deivid perdeu sem goleiro, aos 20. O castigo veio cinco minutos mais tarde. Neymar passou por Willians e Léo Moura, tabelou, deu um drible da vaca em Ronaldo Angelim e fez um gol antológico.

A reação começou depois de dois minutos: Luiz Antônio cruzou rasteiro e Ronaldinho marcou diante do gol vazio. O Rubro-Negro cresceu e fez o segundo gol aos 30, com Thiago Neves, de cabeça, depois de bela troca de passes e cruzamento de Léo Moura.

A reação parecia que seria interrompida com o pênalti de Willians em Neymar. Mas Elano, aos 42, deu cavadinha. Felipe defendeu e ainda fez embaixadinha. Um minuto depois, Ronaldinho cobrou escanteio e Deivid empatou de cabeça: 3 a 3.

O segundo tempo começou no mesmo ritmo. Aos 5, Neymar recebeu nas costas de David, que entrara no lugar de Welinton, e tocou por cobertura, com estilo: 4 a 3.

Mas Ronaldinho mostrou que é gênio e lembrou os tempos de Barcelona, aos 22. Após sofrer falta em jogada de habilidade, cobrou rasteiro, por baixo da barreira, e colocou a bola no fundo da rede. E aos 36, mais um do craque, em chute cruzado, depois de assistência de Thiago Neves, fechando o placar de um jogo épico.

 

Fonte: O Dia

 

 

  

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

22:13 Cidades