sábado, 18 setembro 2021
Fale Conosco | (24)3343-5229

Estado

Acusado de matar amante é condenado em Resende

29/09/2011 16:45:17

A Justiça de Resende condenou a 22 anos de prisão Carlos Antônio da Silva Veronez, de 33 anos, acusado de matar a amante, Kelly Pereira Soares, de 24 anos, no local conhecido como Boca do Leão, na zona rural da cidade. Kelly foi executada com pelo menos quatro tiros, segundo o próprio suspeito confessou à polícia na época. O crime foi cometido com a ajuda da mulher de Carlos, Elisângela Vieira Laje, de 40 anos, cujo julgamento ainda não está marcado.

Kelly foi morta numa área pantanosa, para onde foi levada depois de ser dominada pelo casal quando chegava em casa,na Rua João Horácio da Silva, no bairro Novo Surubi. A vítima era amante de Carlos e foi morta porque Elisângela descobriu o romance e, segundo a polícia, exigiu a execução de Kelly como prova de amor.

Ela foi colocada no carro do casal, o Palio KNE-3238 e levada para o local onde foi executada, que fica distante cerca de oito quilômetros do Centro de Resende. O crime foi elucidado pela polícia com a ajuda de agentes do Serviço Reservado do 37º Batalhão da Polícia Militar, que obtiveram as informações de Júlio César da Silva, irmão de Carlos, que viu a vítima ser arrastada pelo casal. Kelly chegou a pedir socorro, mas o irmão do suspeito se omitiu. No entanto, como colaborou com a polícia, ele não foi indiciado.

A primeira informação que chegou à polícia era de que Kelly tinha sido seqüestrada. O delegado Michel Floroschk, que estava lotado em Resende naquela época, estranhou que documentos e cartões de crédito da vítima não tivessem sido levados pelo supostos seqüestradores e, desde o início, investigava a hipótese de crime passional.

Os planos do casal começaram a ruir porque no local escolhido para o crime o carro deles atolou. Carlos Antônio pediu ajuda ao irmão, que foi num Fusca tentar rebocar o Palio, mas não conseguiu. Ao ser pressionado pelos policiais, o irmão do suspeito contou a verdade e, quando a polícia chegou à residência de Carlos e Elisângela, os dois ainda estavam com as roupas sujas de barro.

De início, Elisângela tentou negar envolvimento no crime, afirmando que apenas tinha dado “uns tapas” na rival. No depoimento, no entanto, Carlos Antônio revelou que sua mulher tinha exigido que, antes de matar Kelly, era queria também quebrar seus dentes e cortar seu cabelo.

De acordo com o delegado, Carlos estava sendo pressionado também por Kelly para deixar a mulher e passar a viver com ela. A polícia achou um extrato bancário demonstrando que a vítima tinha R$ 70 mil numa conta bancária. Kelly trabalhava numa construtora da cidade.

Antonio Carlos foi condenado há 22 anos de prisão pelo crime

Elisângela, segundo o marido, exigiu morte da amante como prova de amor

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

11:19 Nacional