terça-feira, 24 novembro 2020
Fale Conosco | (24)3343-5229

Colunas

Em Foco

por: Fernando Pedrosa

VR não elege mulher para a Câmara

16/11/2020 12:13

Poucas & Boas: VR não elege mulher para a Câmara

 

A Câmara de Volta Redonda teve significativa renovação na eleição deste ano. Porém, será um Clube do Bolinha na próxima legislatura.

Nenhuma mulher foi eleita. Rosane Bergone (PRTB), a única da atual legislatura (foto), teve apenas 762 votos. Não se reelegeu.

América Tereza (PSC), que tentou retornar à Casa que, inclusive, já presidiu, somou 1.259, mas também ficou de fora. Entre as mulheres que concorreram ao Legislativo, ela obteve a maior votação, seguida de Quenia Fernanda (PSDB), com 952 votos. Mas também não deu.

América não foi a única mulher a presidir a Câmara Municipal nos últimos anos. Em 2009, foi a médica Neuza Jordão, que com ela exerceu o mandato naquela legislatura.

Mas...

Veja que interessante: o PMB (Partido da Mulher Brasileira) conquistou uma cadeira para...um homem. Cacau da Padaria foi eleito com 992 votos.

Quebraram

Desde Carlos Gama, eleito no final da década de 1970, Volta Redonda não elegia um radialista para o Legislativo. Este ano, elegeu dois: Renan Cury, da Sul Fluminense, o mais votado, e Betinho Albertassi, da 88 FM.

Deu errado I

O candidato a prefeito pelo Solidariedade, Washington Granato, tentou repetir este ano uma estratégia que deu certo em 2008: enquanto disputava o Palácio 17 de Julho, lançou o irmão, Júnior Granato, para a Câmara.

Desta vez, no entanto, não saiu conforme o esperado: Granato ficou em quarto na disputa pela prefeitura, enquanto Júnior não passou de 946, três vezes menos do que Renan Cury, que também concorreu pelo partido e terminou como o vereador eleito mais votado deste ano.

O detalhe é que, em 2008, Júnior teve nada menos que 2.486 votos.

Em tempo: em mensagem pelo WhatsApp, Granato parabenizou Renan pela vitória.

Deu errado II

Ex-deputado federal, ex-candidato a prefeito, Zoinho não conseguiu ser eleito vereador, cargo no qual começou sua carreira política.

Disputando pelo PSD, ele não passou de 1.454 votos.

Deu errado III

Depois de romper com o prefeito Samuca Silva, o atual vice-prefeito Maycon Abrantes tentou um voo solo para a Câmara. Terminou na 59ª posição em número de votos.

Não passou de 625.

Silêncio

Até o instante em que esta coluna foi publicada, nenhum dos 11 candidatos a prefeito de Volta Redonda havia emitido um mínimo comunicado sobre o resultado do pleito vencido, em primeiro turno, por Antônio Francisco Neto.

Provavelmente porque os votos do eleito, é verdade, estão sub judice. Não são poucos os que, no meio político, preveem uma longa batalha judicial no horizonte.

Mas, até entre opositores, há uma certeza: o resultado da votação dá a Neto um reforço e tanto na última instância, em Brasília. Ainda mais depois dos votos de dois desembargadores no recurso apresentado por ele no Tribunal Regional Eleitoral.

Editor do FOCO REGIONAL

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional