segunda-feira, 21 agosto 2017
Fale Conosco | (24)3343-5229

Colunas

Esporte

por: Filipe Cury

Vasco batalha

24/11/2015 10:46

Independente de não conseguir evitar a queda para a Segunda Divisão, o Vasco joga um futebol empolgante neste fim de temporada. Empolgante não pela qualidade, que, se existisse, não estaria o time no desespero em que se encontra. Empolgante pela inegável dedicação dos jogadores para evitar a tragédia. A vitória sobre o Joinville por 2 a 1, em Santa Catarina, evitou o rebaixamento precoce, porém, faltando apenas duas rodadas para o término do campeonato, a permanência na elite ainda é uma incógnita.

Além de precisar vencer o Santos, em São Januário, e o Coritiba, no Couto Pereira, equipes que também possuem objetivos no Brasileirão, o Gigante da Colina terá que secar Avaí e Figueirense, além do próprio Coritiba. E até os mais otimistas estão convictos de que não será uma tarefa nada fácil de realizar em tão pouco tempo.

O Avaí, com 38 pontos, encara a Ponte Preta, que ainda sonha com a vaga na Libertadores, e o hexacampeão Corinthians. Já o Figueirense, com 40, visita o São Paulo no Morumbi. O Tricolor paulista, depois da cacetada que levou do Timão, ainda busca se manter no G-4. A equipe catarinense ainda recebe o Flu, já de férias, no Orlando Scarpelli.

A torcida vascaína segue acreditando e tem motivos de sobra para isso. Hoje, o maior inimigo é o relógio. A exemplo de 2008 e 2013, o clube se reergueu, mas não empolgou. Fez uma grande campanha no Campeonato Brasileiro de 2011, terminando em segundo lugar, mas nada de títulos de destaque. Na Libertadores do ano seguinte bateu na trave com o gol perdido de Diego Souza nas quartas de final. Aos fiéis torcedores, cabe o apoio incondicional e, acima de tudo, cobrar mudanças para não cair na mesma armadilha.

Aprendam a lição e não aceitem isso jamais. O Vasco é gigante e a Série B não é o seu lugar. Como tudo na vida tem um lado positivo, o maior reforço caso as coisas saiam do script será a viagem de um certo dirigente amador à Sibéria. E isso bem que poderia ser verdade...

Atropelou

Não foi só o Corinthians que atropelou o rival neste fim de semana. Na Espanha, no sábado, o Real Madrid foi humilhado pelo Barcelona dentro de casa por 4 a 0. Neymar, Suárez e Iniesta foram aplaudidos de pé pelos torcedores do Santiago Bernabéu, a exemplo do brasileiro Ronaldinho Gaúcho em 2004.

Messi, voltando de lesão, chegou a entrar nos minutos finais, mas pouco fez em campo. Cristiano Ronaldo perdeu duas chances claras de gol.

Quem leva?

O Santos recebe o Palmeiras nesta quarta-feira, no primeiro duelo da final da Copa do Brasil, na Vila Belmiro. O jogo de volta acontece no dia 2 de dezembro. Ambos disputam acesso à Libertadores tanto no mata-mata quanto no Brasileirão.

Filipe Cury é estudante de jornalismo e faz estágio no FOCO REGIONAL. Sua coluna é publicada sempre às terças e sextas-feiras

E-mail: filipecury93@gmail.com

 

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional