sexta-feira, 21 setembro 2018
Fale Conosco | (24)3343-5229

Colunas

Em Foco

por: Fernando Pedrosa

Samuca é expulso do Podemos

13/09/2018 12:30

Poucas & Boas: Expulsão do Podemos não tira sono de Samuca

Como era de se esperar, a decisão de anunciar publicamente apoio a Eduardo Paes, do DEM, ao governo do estado, em detrimento de Romário, do Podemos, partido ao qual estava filiado, custou ao prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, a expulsão da legenda. Que, segundo uma fonte do Palácio 17 de Julho, não vai ficar sem dormir por causa disso.

A mesma fonte diz que Samuca havia feito uma carta pedindo sua desfiliação do Podemos há cerca de 15 dias, que só não teria sido encaminhada por consideração ao senador paranaense Álvaro Dias, candidato do partido à Presidência da República.

Complicado

Aliás, Samuca recebeu o senador em Volta Redonda e foi anunciado como um dos coordenadores da campanha de Dias no estado do Rio, condição que, assegura a fonte, ele manterá, ainda que seja difícil entender como isso funcionará após a decisão do Podemos estadual de rifá-lo da legenda.

Distante

A mesma fonte, bem próxima de Samuca, diz que ele não quer falar (pelo menos por enquanto) do episódio, mas tenta explicar o inusitado apoio ao principal adversário de Romário pelo fato de o ex-jogador de futebol ter, digamos assim, menosprezado o prefeito de uma das cidades mais importantes da região – até então o único do Podemos no estado do Rio.

- Romário, desde que se lançou pré-candidato, nunca procurou o Samuca. Nem para apresentar um plano de governo. Eduardo Paes, ao contrário, esteve com Samuca duas vezes antes de receber publicamente seu apoio, explanando seu plano de governo – diz a fonte, atribuindo entre as razões de tal comportamento ao fato dos rumores de que Samuca estaria pleiteando ser o candidato do Podemos ao governo estadual.

Lá atrás

Ao deixar o Partido Verde, pelo qual foi eleito, e se transferir para o Podemos, numa solenidade em Brasília, Samuca tinha a certeza de que teria o controle do partido não só em Volta Redonda, mas na região Sul Fluminense – exatamente pelo fato de ser o único prefeito do Podemos no estado. Porém, ao assumir o partido no Rio, Romário tomou e rolou a bola em Volta Redonda para o empresário Rogério Loureiro, que concorre a deputado estadual.

Samuca jamais engoliu a jogada. Deu o troco com o anúncio público a Eduardo Paes, o que teve um simbolismo extremamente negativo para Romário. O cartão vermelho, portanto, já era esperado. O próprio Eduardo Paes, na visita que fez à cidade na última terça-feira, quando caminhou ao lado de Samuca, previu que Samuca sofreria retaliações.

Como fica

Samuca não tem necessidade, agora, de se filiar a nenhum partido. Se Romário for eleito – quem conhece o Baixinho sabe do seu temperamento – Volta Redonda estará à mingua em se tratando de estado nos dois últimos anos de seu mandato. Se Paes for eleito governador, Samuca vai correr pra galera.

Fernando Pedrosa é editor do FOCO REGIONAL

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional