sexta-feira, 23 junho 2017
Fale Conosco | (24)3343-5229

Colunas

Em Foco

por: Fernando Pedrosa

Ronaldo Alves com Samuca

26/12/2016 15:30

O time de assessores especiais do prefeito eleito de Volta Redonda, Samuca Silva, não é composto apenas pelo consultor Sérgio Boechat, o empresário Mauro Campos e o também empresário Rafael Capobiango, como já foi divulgado. Quem também está participando das reuniões com o eleito, embora sem divulgação, é o arquiteto Ronaldo Alves, que, até o fim desta semana, é secretário de Planejamento de Barra Mansa.

Aliás, Ronaldo vinha sendo cotado, até o anúncio de quase toda a equipe de Samuca, para ocupar um cargo de secretário em Volta Redonda. Há quem diga que isso não ocorreu por causa de um suposto temor de Samuca com a reação pública, por causa do fim melancólico do governo Jonas Marins na cidade vizinha.

Currículo

Ronaldo foi secretário de Planejamento de Volta Redonda em duas ocasiões. É fundador do IPPU (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano), que presidiu por duas vezes: de 1977 a 1979 e de 1982 a 1985.

Em Barra Mansa, já havia sido secretário de Planejamento de 1993 a 1996, no governo de Luiz Amaral. Também foi secretário de Desenvolvimento e Turismo em Rio Claro, sua terra natal, de 2005 a 2007.

O agora assessor político de Samuca também foi quem moveu a ação judicial que resultou no reconhecimento de que o bairro Roma, então administrado por Piraí, pertencia a Volta Redonda, obrigando a cidade do aço a assumir o território.

Especulações

Por falar em Barra Mansa, nos bastidores políticos corre que Adilson Resende será o secretário de Agricultura no governo de Rodrigo Drable. Ele é ligado ao Sindicato Rural e ao vereador Beleza.

Já Luiz Furlani, que desistiu de concorrer à prefeitura e apoiou Rodrigo, pode ser anunciado como secretário municipal de Ordem Pública.

Destinos

Poucas & Boas: Ronaldo Alves na assessoria de Samuca

Quem convive com o prefeito Jonas Marins relata que ele anda num baixíssimo astral. Afastado no meio do ano do cargo, por ordem da Justiça devido a suspeitas de desvios na Secretaria de Saúde. Jonas tem dividido o tempo entre Barra Mansa e o distrito de Nossa Senhora do Amparo.

Embora tenha conseguido retornar ao cargo também por conta de uma decisão judicial, Jonas teve que abrir mão de concorrer à reeleição e chega ao fim do governo, como dito acima, de forma melancólica, com a carreira política estraçalhada.

Já seu irmão Jhonatan Aguiar, que também foi afastado do cargo por ordem da Justiça e não conseguiu voltar, parece que não sentiu tanto: teria viajado antes do Natal para a Argentina, com a mulher, Paloma.

Poucas & Boas: Ronaldo Alves na assessoria de Samuca

Fernando Pedrosa é editor do FOCO REGIONAL

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional