sábado, 21 outubro 2017
Fale Conosco | (24)3343-5229

Colunas

Vida Digital

por: Frederico Guimarães

Pedofilia nas rede sociais

16/10/2015 10:37

11 anos não é idade para criança estar no Facebook

Quando ouvimos falar de Dia das Crianças, a imagem que nos vem a cabeça é sempre a mesma: presentes, brinquedos, alegria, felicidade e muita bagunça por conta da garotada. Mas, com o passar do tempo, estes brinquedos mudaram. Atualmente, grande parte deles são celulares e tablets com acesso à internet. Pegamos então este brinquedo sofisticado e entregamos nas mãos de uma criança. Aliado à falta de informação e de monitoramento dos pais, somado a pessoas mal intencionadas, que usam a internet para promover barbáries, temos então fatos como o ocorrido no Dia da Criança no Centro de Barra Mansa. Um suspeito de pedofilia descoberto após marcar encontro com uma garota de 11 anos pela internet.

Não me considero antiquado, mas condeno alguns atos liberais demais. Para começar, 11 anos não é idade para uma criança estar no Facebook, onde, segundo a política de uso, mentir sobre a idade ou o nome é uma violação de seus termos, sendo punida com exclusão do seu perfil do site. Então, tente pensar em redes sociais para menores de 13 anos, que é a idade mínima permitida pelo Facebook, como aqueles brinquedos proibidos para crianças com menos de um ano de idade, pois contêm peças minúsculas que, se ingeridas, podem causar engasgo. Se é traumático perder um filho engasgado com um brinquedo inadequado à sua idade, não é menos traumático perdê-lo para um pedófilo. Portanto, 11 anos não é a faixa de idade indicada para as redes sociais.

Em conversas em família, sempre defendi que celular e acesso às redes sociais são apenas para o adolescente que já atingiu certa maturidade e, mesmo assim, com o constante monitoramento dos responsáveis. A única pessoa que me dava ouvidos, por incrível que pareça, era a minha avó. Logo ela, a mais conservadora de todas, que sequer sabia mexer em um telefone celular comum. Mas isso é devido às grandes tragédias que assistimos frequentemente na televisão, nos dias de hoje.

Pesquisando na internet, descobri que 38% dos adolescentes de 11 a 17 anos costumam adicionar pessoas que não conhecem à lista de amigos nas redes sociais. Preocupante, não? Esta informação foi levantada por um centro de estudos ligado a Unesco e é apontada pela polícia como o um dos fatores para o aumento dos casos de pedofilia na internet.

Agora é hora de refletir sobre o que está acontecendo e começar a se preocupar com este assunto.

Pedófilo não tem idade. Cuidado com as fotos que você posta de seus filhos. Elas podem estar sendo compartilhadas em redes de pedofilia. Todos estão sujeitos a isso. Seu filho pode estar passando por situação semelhante neste exato momento. Minha sugestão é a busca de informação com profissionais sobre como orientar os adolescentes nas redes sociais. O próprio Facebook disponibiliza uma cartilha com dicas para pais, adolescentes e professores, que você pode acessar nos links abaixo. É só se informar e se orientar para que a inocência de nossas crianças não se perca nas mãos de nenhum crápula.

Cartilha do Facebook para pais:

https://www.facebook.com/safety/groups/parents/

Cartilha do Facebook para adolescentes:

https://www.facebook.com/safety/groups/teens/

Cartilha do Facebook para professores:

https://www.facebook.com/safety/groups/teachers/

 

Frederico Guimarães é especialista em marketing digital

E-mail: frederico@souhashtag.com.br


Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional