sexta-feira, 22 setembro 2017
Fale Conosco | (24)3343-5229

Colunas

por: Ingridy Ribeiro

Porque acabou não deu certo?

30/06/2017 16:17

Dois meses, dois anos, 20 anos... não importa o tempo, quando o relacionamento acaba isso não quer dizer que ele não deu certo.

Este estigma cruel destrói muitas relações que poderiam seguir em paz, mesmo após o término. Como é triste duas pessoas que se amaram muito um dia não conseguirem ser bons amigos!

O “não deu certo” geralmente vem acompanhado de muita culpa e mágoa. Afinal, não deu certo por qual motivo? Quem arrancou o véu da ilusão do “para sempre” dos olhos da relação? Quem feriu quem? A quem devemos apontar o dedo e a quem devemos consolar?

Vocês fizeram viagens inesquecíveis juntos, dividiram um único edredom, a pipoca, a vida, trocaram beijos apaixonados, poemas, canções, gargalharam até a barriga doer, secaram as lágrimas um do outro, fizeram um filho e o relacionamento não “deu certo”?

Uma relação que não deu certo é uma relação mantida por aparência, interesses ou medo da solidão. Mas tudo que um dia nos fez feliz, deu certo. Deu certo até que acabou. Simples assim!

O fim não precisa necessariamente retratar um fracasso. O fim não anula o começo. Quando uma relação acaba e dizemos que não deu certo, transformamos toda uma história em um grande equívoco, invalidamos o tempo que “deu certo”, jogamos fora as boas memórias, matamos em nós parte de alguém e assim, matamos em nós uma parte nossa.

Se você está passando pelo término de uma relação, segure as pontas! Gostar de alguém não é fácil. Às vezes dói e muito. Duvidamos, sentimos medo, raiva, frustração... faz parte do pacote, não é verdade? Deixar de gostar também. Aceitar? Difícil. Perdoar? Mais ainda! Mas, por você, por honra a sua história e honra as suas escolhas, vale a pena ao menos tentar.  

Se entregar novamente? Acreditar no amor? Sempre! A garantia de um final feliz, ou a metade da laranja, não existe. Mas e daí? Há um mundo de possibilidades a serem vividas e compartilhadas a dois.

E que fique claro: eu não desacredito nas relações duradouras, mas estou convicta de que toda relação se transforma. A mudança é a única coisa constante em nossas vidas! E fica tudo bem quando aceitamos isso. Enquanto permanecermos apegados ao “felizes para sempre”, não nos permitiremos aproveitar o “felizes agora”.

Finalizo com a máxima de Vinicius de Moraes: “que seja eterno enquanto dure”. E jamais se esqueça: se virou uma história com partes gostosas de se contar, é porque deu certo sim.

Se este conteúdo foi útil para você, compartilhe com as pessoas que você gosta e inspire transformações.

Até a próxima!

Ingridy Ribeiro é Coach de Vida & Carreira. Escreve às sextas-feiras

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional