domingo, 23 abril 2017
Fale Conosco | (24)3343-5229

Colunas

Em Foco

por: Fernando Pedrosa

Faria no Hospital da Japuíba

04/11/2016 15:47

O engenheiro Sebastião Faria, diretor do SAH (Serviço de Administração Hospitalar), responsável pela administração do Hospital São João Batista, em Volta Redonda, poderá ser o diretor geral do Hospital da Japuíba, em Angra dos Reis, a partir de 2017. O convite foi feito – e aceito – pelo prefeito eleito da cidade litorânea, Fernando Jordão, que esteve recentemente com Faria no gabinete do prefeito Antônio Francisco Neto, em Volta Redonda. Procurado pela coluna, Faria confirmou a possibilidade, ressaltando que a palavra final deve ficar mais para o fim do mês, quando Jordão – que está fora do país – retorna a Angra dos Reis.

Mas tanto é praticamente certa a possibilidade, que nesta quinta-feira ele esteve em Angra dos Reis, conhecendo as instalações do hospital. Ficou impressionado com duas coisas: as instalações, que são ótimas, e com o baixo atendimento, da ordem de 30% da capacidade, devido ao caos instalados na atual administração pública da cidade.

- Será um grande desafio –  resume.

Regional

Poucas & Boas: Faria poderá dirigir hospital em Angra dos Reis

 

Encarregado por Neto de supervisionar duas grandes obras em sua gestão – a reconstrução do Estádio da Cidadania Raulino de Oliveira e o Hospital Regional – o engenheiro confirma que o hospital terá as obras físicas concluídas no próximo dia 17 de dezembro. Garante que não há risco de novo adiamento.

O hospital será aberto com o Centro de Imagem e, espera Sebastião Faria, já no primeiro semestre de 2017 ofertará entre 40 e 50 leitos de UTI adulta e pediátrica.

Outros

O diretor do Hospital São João Batista não é o único membro da equipe de Neto que recebeu convite para integrar o próximo governo de Angra dos Reis. Também é cogitado José Carlos Abreu, secretário de Fazenda. O prefeito de Volta Redonda não deixa de registrar que José Carlos e sua equipe são responsáveis pelo fato de a cidade, apesar da crise, estar conseguindo manter a maioria dos compromissos financeiros em dia, como o do  funcionalismo municipal.

Há quem garanta que Munir Francisco, irmão de Neto, secretário de Ação Comunitária, também já foi sondado por pelo menos outro prefeito eleito de cidade da região.

Tratativas

Deve acontecer na próxima semana uma primeira reunião entre vereadores eleitos e reeleitos em Volta Redonda. A pauta é quente: a Mesa Diretora do primeiro ano da próxima legislatura.

De olho na corrupção I

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) criou, na estrutura da Procuradoria-Geral de Justiça do Rio, o Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (GAECC). A equipe será formada por promotores de Justiça da área criminal e de tutela coletiva, que prestarão auxílio aos órgãos de execução do MP responsáveis pela prevenção e repressão aos ilícitos penais e civis praticados contra o patrimônio público ou que ferem a probidade administrativa.

O grupo investigará agentes vinculados à Administração Pública direta ou indireta, estadual ou municipal, e entidades privadas que recebam recursos públicos, em casos, como por exemplo, de crimes relacionados a licitações, lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores. O GAECC foi instituído pela Resolução 2.074, publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial.

De olho na corrupção II

O procurador-geral de Justiça, Marfan Martins Vieira, ressaltou os aspectos positivos da criação do grupo. O primeiro a ser considerado é o da especialização de funções, sempre prejudicada quando a atuação é pulverizada entre centenas de agentes. Como o GAECC atuará nas áreas cível e criminal, será evitada a duplicidade de investigações, também contribuindo para uma visão ampla e sistêmica dos atos de corrupção. Além disso, facilitará o mapeamento de esquemas ilícitos que se repetem, ainda que com atores diversos, nos distintos quadrantes do estado e dos municípios.

 A iniciativa do MPRJ considera a necessidade de maior integração entre os órgãos de execução. Para o Ministério Público, a criação de órgãos de atuação ministerial especializados no combate à corrupção reforça a proteção dos bens jurídicos e dos direitos sociais e individuais

 De olho na corrupção III

O GAECC aturará em todo o estado do Rio com o apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência, dos Centros de Apoio Operacional e dos Centros Regionais de Apoio Administrativo e Institucional do MP. Um coordenador, dois subcoordenadores, além de promotores de Justiça designados pelo procurador-geral de Justiça, integrarão o grupo. A ação do grupo dependerá da concordância do promotor natural do caso e da autorização do procurador-geral de Justiça.

 Ao GAECC caberá oficiar nas representações, peças de informação, expedientes de ouvidoria, inquéritos civis e policiais, ajuizar a respectiva ação civil pública, de improbidade administrativa ou penal, e as medidas cautelares cabíveis. Os membros poderão inspecionar e fiscalizar estabelecimentos públicos e privados, convocar reuniões e oitivas, atender as demandas da população, adotando as providências cabíveis. A atuação do GAECC será realizada, prioritariamente, na fase de investigação e ajuizamento das ações. Em seguida, o promotor de Justiça com atribuição no caso dará continuidade aos termos processuais.

FERNANDO PEROSA é editor do FOCO REGIONAL

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional